sexta-feira, julho 20, 2012

Rali Vinho Madeira

Promover uma imagem de "Body, mind, Madeira" com imagens verdejantes e ambiente calmo e depois usar como instrumento de divulgação um desporto que tem tudo menos calma, já tem muito de questionável, pela contradição que revela.

Agora, além disso, ainda usar o dinheiro da promoção da Madeira, para mostrar imagens de florestas queimadas é um atentado à nossa economia.

Incêndios na Madeira, nas últimas 48h

Nesta aplicação da Nasa podemos ver os incêndios detectados nas últimas 48h.

Para outras definições pode aceder ao link.

quinta-feira, julho 19, 2012

Meios Aéreos no combate a incêncios

Os meios aéreos no combate a incêndios, como tudo na vida, apresenta vantagens e desvantagens.

Do lado das desvantagens, e falando especificamente do caso da Madeira, temos:
1 - custo
2 - Orografia acidentada

Do lado das vantagens, temos:
1 - rápido combate inicial, evitando o crescimento do incêndio
2 - acesso a zonas de difícil ou impossível acesso por outros meios.
3 - abundância de água disponível (apesar de salgada)
4 - podem ser usados para uma detecção precoce

Acredito que as vantagens superam as desvantagens e que tendo em conta o valor que a nossa floresta tem para a nossa segurança e actividade económica (turismo) deveria ser seriamente equacionada a contratação de combate a incêndios nas épocas de maior perigo.

 Para poder ficar com uma melhor informação sobre o tema dos meios aéreos encontrei este interessante documento que aconselho vivamente uma leitura.

segunda-feira, julho 16, 2012

Punir os outros e ajudar os nossos.

Portugal terá de pagar uma taxa de pelo menos 3,5% ao longo de 12 anos para poder ter acesso aos 78.000 M€ de "ajuda" da troika.

Já a banca espanhola, para um empréstimo de 100.000 M€ terá mais do dobro do tempo, 30 anos, e uma taxa de 2,5%.

Por outras palavras, a banca espanhola pagará menos por ano por um empréstimo de 100.000 M€ que Portugal pagará por um empréstimo de 78.000 M€.

A conclusão é apenas uma. Quando se trata de ir buscar dinheiro aos cidadãos, não há esforço que seja demasiado. Já os responsáveis pelas patifarias que nos levaram a esta situação merecem toda a consideração  e ajuda por parte destes dirigentes europeus.

Entretanto, neste país de fracos governantes, os responsáveis políticos consideram que o importante é cumprir o que está estabelecido no acordo com a troika, e não ter as mesmas condições que os nossos parceiros.