terça-feira, outubro 25, 2011

Golpistas

Sempre que a direita está no poder, paira sobre a segurança social pública a ameaça de falência.
Já no anterior governo PSD/CDS colocava-se o prazo de falência da segurança social em 2015.
Como se pode ver essas previsões foram manifestamente exageradas.
Entretanto veio o governo do PS e com o fantástico trabalho de Vieira da Silva essa ameaça subitamente desapareceu... até a direita voltar ao poder.
A novidade agora é que o novo prazo de validade da segurança social pública passou a ser de 2040.

Não é demais lembrar que vivemos tempos de crise, e que esta crise afecta de forma dura o balanço da segurança social, reduzindo as receitas e aumentando as despesas. Mesmo assim, atravessando a crise mais severa das nossas vidas, o sistema têm-se revelado robusto, sendo capaz não só de gerar mais receitas que despesas como ainda é capaz de fazer transferências solidárias dos que mais ganham para os menos afortunados.

A forma com a direita invariavelmente tenta resolver o problema de sustentabilidade da Segurança Social Pública é verdadeiramente bizarra e consiste em diminuir já as receitas mantendo as despesas para no futuro poder haver uma hipotética diminuição de despesas. Acontece que esta solução em vez de prolongar a vida da Segurança Social, antes antecipa a sua morte, tendo em conta que antecipando de 2040 para agora os saldos negativos, muito provavelmente chegaríamos a 2040 sem nada para distribuir.

Além disso, com a proposta da direita, deixaria de haver, já, transferências solidárias dos mais ricos para os mais pobres.

Então porque razão está a direita tão empenhada nesta mudança que levará à ruína da SS pública?
Em primeiro lugar por preconceito ideológico em relação a tudo o que é público. E por fim, porque a sua base eleitoral, ou seja,quer os contribuintes mais ricos quer os accionistas das seguradoras teriam muito dinheiro a ganhar com estas alterações propostas.

O custo seria apenas as reformas de uma vida inteira dos menos ricos. Nada que os incomode muito.

1 comentário:

José Gonçalves Cravinho disse...

Sempre que a Direita está no Poder.
Assim começa o texto.Mas afinal a Direita com as mais variadas gentes a Governar sempre esteve no Poder desde a Fundação de Portugal.