quarta-feira, junho 08, 2011

Obrigado Zé e até sempre

Sem surpresa, o PS perdeu as eleições. Pelas circunstâncias e por tudo o que foi feito para que isso acontecesse, não poderia deixar de ser assim. Mas se o PS não teve um resultado muito pior, isso deve-se à tenacidade, à coragem e à inesgotável força anímica de José Sócrates. Este foi o político mais perseguido e vilipendiado que há memória em Portugal. Tudo serviu para lhe atacar. E a tudo ele resistiu. Enfrentou a maior crise financeira internacional das nossas vidas. Um presidente falso e trapaceiro. Uma coligação negativa no Parlamento. Uma Direita com fome de poder e uma esquerda radical irresponsável. Na hora do adeus, saiu de cabeça erguida. Sem ressentimentos. Com posse de Estado. Um homem vítima da maior campanha de ódio que já assistimos, sai com um sorriso. Um democrata, acima de tudo. O seu discurso final ficar-me-á gravado na memória, “Não devemos temer o julgamento da História”, disse. Diria mais: “atrás de mim virá, quem bom de mim fará”. Obrigado José Sócrates e até sempre.

Sem comentários: