terça-feira, maio 10, 2011

Body language

No debate com Sócrates, Paulo Portas não foi capaz de olhar uma única vez nos olhos daquele. Quando Sócrates o olhava de frente, Portas baixava a cabeça ou fazia que tomava notas.

No final do debate, Portas suava, muito.

Quando teve o seu minuto para declarações finais, Portas divagou, perdeu-se e teve de ser interrompido pela jornalista.

Sócrates olhou de frente, sempre. Manteve sempre sereno. Não suou. Disse calmamente a mensagem que tinha previamente decorado no seu minuto final.

Tirem as vossas conclusões.

Sem comentários: