quinta-feira, abril 14, 2011

Com o PSD é que é

Com a operação de titularização de dívidas fiscais e da segurança social, realizadas por Manuela Ferreira Leite em 2003, para mascarar o défice, o estado pagou um juro implícito de 17,5%.
Comparando com os estes valores, os juros pagos nas últimas emissões de dívida (6%), realizadas antes de chamar o FMI são uma verdadeira bagatela.

No entanto, o despudor é tão grande que ainda nos querem fazer crer que a sua honestidade e competência não tem paralelo.
Com os governos de direita é sempre assim: espatifar as contas públicas de modo a tornar inevitável a privatização de tudo o que é do estado.

1 comentário:

Anónimo disse...

As crises são uma oportunidade para os povos perceberem que estão a seguir um modelo (económico) errado. Estou cada vez mais convencido que o modelo económico certo, e o certo tem que ser visto no médio e longo prazo pois o modelo actual no médio prazo foi certo mas como se vê no longo prazo foi catastrófico, é o liberal. Podem-lhe chamar de neoliberal para o denegrir mas é o modelo certo no médio e longo prazo. Mas atenção que o liberalismo económico só funciona com uma justiça célere e independente, sem isso é banditismo de colarinho branco a semelhança do que se passa em Itália com o Berlusconi e o seu universo empresarial.

Está na hora de mudar de sistema e para um sistema imune à natureza humana. Um sistema que funcione também no médio e longo prazo. Um sistema em que não se privatize os lucros e se nacionalize as perdas. Um sistema económico que não permita as más prácticas e decisões durante muito tempo de forma impune. Um sistema em que as consequências recaiam unicamente e directamente sobre os "culpados" pelas más decisões económicas.

Para mim a intervenção do FMI, tendo em conta a situação a que se chegou, é a melhor alternativa. No entanto se um céntimo do empréstimo for para capitalizar a banca, à semelhança do que se fez no BPN, não contem com a minha conivência para continuar a alimentar políticamente e económicamente o actual sistema político.

A minha renúncia à Assembleia Municipal pela qual foi eleito está assinada desde 27 de Abril do ano passado. É promonitória e tendo em conta que se chegou à situação que eu já advinhava provavelmente será entregue...é só mudar o ano na data...

amsf