sexta-feira, março 11, 2011

Magistratura Activa

João Galamba: Segundo o jornal Público, o polémico projecto para o aterro do Funchal foi adjudicado por 1.5 milhões de euros à Norvia Prima, empresa detida por Jaime Ramos, secretário regional do PSD. A adjudicação, por ajuste directo, beneficiou da lei de meios extraordinários para a reconstrução da Madeira, que, entre outras coisas, cria um regime excepcional em matéria contratação pública. No seu discurso de tomada de posse, Cavaco Silva disse haver sinais de 'uma cultura altamente nociva, assente na criação de laços pouco transparentes de dependência com os poderes públicos' e que essa 'cultura que tem de acabar'. Como hoje foi um dia de Verdade, presumo que o presidente que nunca disse uma palavra sobre o aquilo que se vai passando na Madeira deva ser uma coisa do passado.

Sem comentários: