terça-feira, março 08, 2011

Geração à rasca II

Percebo o dilema. A Economia não cresce, não há criação de emprego. Os seus cursos não são valorizados pelo mercado de trabalho. O Estado não pode contratar.
Portanto, ficam desempregados ou têm de aceitar qualquer emprego, em quaisquer condições. É verdade que é melhor trabalhar do que não trabalhar, mas não a qualquer preço. As pessoas têm de ser respeitadas. Os empregadores têm de garantir condições de dignidade e justiça no trabalho. Mas tudo isso é hoje previsto nas leis do trabalho. E existem garantias administrativas (a Inspecção de Trabalho) e jurisdicionais (Tribunal de Trabalho) para repor a legalidade.
Por isso não percebo qual é o objectivo deste movimento de jovens ditos "à rasca". Vão protestar por não haver emprego? E como querem que o Estado crie emprego? Vão protestar contra as condições precárias? Mas o Estado já disponibiliza procedimentos e lugares próprios para essas reclamações serem atendidas e a legalidade ser reposta.
Dito isto, têm todo o direito de protestar e dizerem o que pensam e é saudável que o façam. Mas seria muito mais proveitoso se apresentassem soluções.

1 comentário:

Anónimo disse...

Simplesmente não há soluções. São os ciclos económicos...à festa segue-se a ressaca! Em casa onde não há pão todos brigam e ninguém tem razão...

amsf