quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Egipto

Existem alguns estudos que indicam que com valores abaixo de 10.000$ de pib per capita em PPC dificilmente a democracia pode vingar, presumivelmente devido escasso peso da classe média na sociedade. A título de exemplo, Portugal em 1975 tinha um pib per capita em PPC de cerca de 9200$, ou seja, próximo dos limites para o desenvolvimento da democracia, e todos sabemos o perto que estivemos de voltar a cair noutra ditadura.
O Egipto, com um rendimento per capita em paridade de poder de compra de cerca de 6000$, tem poucas condições para que a democracia se desenvolva.
A existência de eleições, só por si, não é condição suficiente para o desenvolvimento da democracia, nem é garantia que em pouco tempo, o novo poder não assuma práticas semelhantes às do poder que foi destronado.

A comunidade internacional tem todo o interesse em ajudar os egípcios a se desenvolverem e tem todo o interesse a pressionar o poder político a implementar reformas que façam crescer a classe média no país, nomeadamente através de uma melhor distribuição de rendimentos.
No entanto, seria absurdo promover uma mudança política adversa aos nossos interesses, ainda por cima com poucos ganhos, em termos de liberdade e democracia, para o povo egípcio.

1 comentário:

amsf disse...

O regime do Mubarack já começou a implementar a velha táctica de lançar a violência entre os adversários de forma a justificar a intervenção policial. De repressão passamos à percepção que a intervenção faz-se para pacificar.
A polícia já não está a reprimir mas a pacificar, a separar os anti-Mubarack dos pró Mubarack (provocadores arregimentos pelo regime).