sexta-feira, dezembro 31, 2010

Eu ainda sou do tempo...

...em que não existia gabinete de avaliação do ensino (GAVE), que foi criado em 2005 e em que a única avaliação que existia ao ensino em Portugal era o PISA da OCDE.

Hoje em dia, não só fazemos avaliação interna, como esta é ainda mais exigente que a avaliação externa.

Quando não fazíamos avaliação diziam que éramos exigentes. Agora somos facilitistas.

Percebe-se bem a falta de conforto de alguns intervenientes da área da educação em ver expostas as fragilidades do nosso ensino, mas sem avaliação não há melhorias.


BOM ANO DE 2011.

quinta-feira, dezembro 30, 2010

Já há agenda?

Para os debates com o candidato José Manuel Coelho?

Apanhem que é policia Vs Culpem o médico pela doença

Se a tentativa de responsabilizar o supervisor bancário pelas falcatruas efectuadas no BPN, deixando de fora tudo o que era gestor daquela santa casa dos amigos do cavaquismo, já era uma pouca vergonha sem nome, a tentativa de Cavaco para sacudir a culpa e atribuir aos gestores actuais a responsabilidade pela situação a que se chegou, é o fim da picada.

Cavaco é um sem vergonha e um cara de pau da pior espécie.
Querer omitir a actuação criminosa de Oliveira e Costa e Dias Loureiro na condução que levou o BPN ao ponto de ter de ser nacionalizado (não me lembro de cavaco ter vetado a nacionalização ou sequer ter feito reparos) não cabe na cabeça de ninguém.

A versão do CDS era a do Apanhem que é polícia. A versão de Cavaco é a de culpar o médico pela doença.

quarta-feira, dezembro 29, 2010

Tão democratas que eles são.

É vergonhosa a forma descarada como os órgãos de comunicação social, com a RTP à cabeça, boicotam algumas candidaturas válidas à presidência da república.

O facto dos debates televisivos apenas incluírem alguns candidatos e terminarem precisamente no dia em que o TC confirma a admissibilidade das candidaturas, mostra a má fé que acompanha todas as candidaturas dos grandes.

Alegre, Francisco Lopes, Fernando Nobre e Defensor de Moura que têm sempre a palavra democracia na boca, nada dizem sobre esta distorção. Dito de outra maneira, são pura e simplesmente cúmplices.
Não referi o actual PR simplesmente porque dali não espero nada.

P.S. - Voto Coelho (se conseguir abalar este status quo, caso contrário voto Pato Donald). Tem para já o beneficio da dúvida.
P.S. 1 - Começa bem

Rigo no Porto

Aproveitando a estadia nesta época natalícia no Porto, resolvi passar pelo Museu de Serralves quando me deparei com duas obras de Rigo (ver fotos em baixo). Se a primeira foto dispensa apresentações ou comentários, a segunda enquadra-se naquele lamentável episódio que ocorreu aquando da passagem da estátua de N.ª Senhora na Ribeira Seca (Machico). É uma estátua sem rosto com faixas brancas com o nome dos fiéis desta paróquia bordados a manifestar o seu desagrado. (clique nas imagens para ver maior).

Questiono-me se na Madeira seria possível apresentar estas obras num centro das artes ou galeria?


terça-feira, dezembro 21, 2010

Os mesmos métodos, a mesma natureza

Cineasta iraniano condenado a 6 anos de prisão por "propaganda contra o regime"


O Governo Regional vai processar Raimundo Quintal.

segunda-feira, dezembro 20, 2010

Madeira foi a região do país onde o desemprego mais cresceu


DN-Madeira: "De acordo com números avançados esta sexta-feira pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFF), a Madeira registou um aumento anual do desemprego de 16,5%."


É por causa da crise financeira internacional?


Não. O desemprego na Madeira tem vindo a aumentar desde 2002.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Perguntas legítimas II



A ACIF concorda que sejam gastos € 39 Milhões num estádio de futebol, invés de se usar esse dinheiro para ajudar ajudar as PME's da Madeira?

Perguntas legítimas

Os representantes dos trabalhadores da função pública na Madeira concordam que 10% do seu salário seja transferido para pagar o Jornal da Madeira?






Uma revolta justa

O Governo Regional da Madeira vai roubar os funcionários públicos de parte dos seus ordenados e deixar as pequenas empresas irem à falência, enquanto gasta o nosso dinheiro no Jornal da Madeira e em futebóis.
Perante este roubo, é mais do que justo e esperado que se revoltem. Os sindicatos deviam se unir para fazer se manifestarem na Quinta Vigia, no Parlamento, no Governo Regional, no JM, nos Barreiros e exigirem que o nosso dinheiro seja usado para ajudar quem trabalha. Como é que os que roubam o povo desta forma podem dormir?

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Produtividade alemã numa "casa" marroquina

No "canto" do Carlos Pereira as propostas do PS para alterar o Orçamento para 2011. Vale a pena ler, pelo menos para depois não dizerem que "só dizem mal....".

Um post genial

Este de André Escórcio, ao bom estilo do Eça. Leitura obrigatória.

O milagre da multiplicação

Segundo as estimativas do Governo Regional da Madeira, as receitas fiscais para 2011 vão aumentar, em relação às de 2010, cerca de €16 Milhões.

Com empresas a fechar, o CINM em dificuldades, o desemprego a aumentar, seria de esperar que as receitas fiscais diminuíssem.

Perguntas que ninguém quer fazer

A Madeira tem cerca de 52.000 alunos inscritos em todos os níveis de ensino. Se dividirmos os €421 Milhões pelo n.º de alunos, temos uma despesa média por aluno de cerca de €8.100. Ora, a despesa média por aluno no Continente é de €3.750 segundo o Governo e de €5.200 segundo a OCDE. Admitamos que a verdade está no meio e que seja cerca e €4.000. A Madeira tem uma despesa por aluno que é o dobro do Continente. Os resultados não são melhores.
O que é que se passa com esta gestão? Porque é que ninguém faz estas perguntas?

Ensino gratuito

O Orçamento da R. A. da Madeira para 2011 reserva para a Educação a maior fatia, 26% do total.

São €421 Milhões, totalmente "gratuitos"...

terça-feira, dezembro 14, 2010

Que tipo de governo temos?

A boa governação depende de boas opções e adequadas prioridades. Em plena crise, o Governo Regional da Madeira decidiu gastar 39 Milhões para construir o estádio do Marítimo. Por outro lado, vai seguir o exemplo de Lisboa e reduzir os salários dos funcionários públicos.

Era possível fazer o estádio noutra altura e com menos custos?

Sim. O Governo Regional devia ter aproveitado o Euro 2004, e fazer o estádio com financiamento externo, poupando assim muitos milhões aos madeirenses. O estádio teria de ter cerca de 30.000 lugares, mas poderia ser feito usando - em parte - bancadas amovíveis que seriam retiradas depois de terminado o Europeu. Como aconteceu em Leiria ou no Bessa. Se Alberto João Jardim fosse responsável teria aproveitado a oportunidade para fazer um bom estádio que servisse o Marítimo e o Nacional. As vantagens dessa opção são óbvias.
Do ponto de vista:
- Político: Fechava de vez a questão.
- Promocional: Colocaria a Madeira no palco mediático mundial, numa promoção sem preço.
- Económico: Teria encaixado os retornos imediatos do evento.
- Financeiro: Teria poupado dinheiro ao erário público porque financiar um estádio é sempre mais barato do financiar dois estádios.
- Planeamento do território: evitava que se multiplicasse duas estruturas que têm o mesmo fim, num espaço com uma densidade populacional tão elevada como é o Funchal.
- Custo de manutenção - as despesas de manutenção do estádio divididas pelos dois clubes reduziria o esforço financeiro, que em última analise é feito - outra vez - pelo erário público.

Quanto custaria atribuir uma compensação aos funcionários públicos como foi feito nos Açores?

Nos Açores, uma medida deste tipo vai custar cerca de 3 Milhões. Ou seja, cerca de 10 vezes menos do que o Governo Regional da Madeira vai gastar no estádio.

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Memória curta

"O secretário regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia, disse hoje que quem não defende o Centro Internacional de Negócios da Madeira (CINM) "trai" os interesses de Portugal e da Região." in DN-Madeira

terça-feira, dezembro 07, 2010

O importante são as escolas serem mais eficazes

O ensino pode ser garantido por escolas públicas ou por escolas privadas. O serviço prestado é exactamente o mesmo. O Estado gasta o mesmo por aluno tanto na escola pública como na privada. Então quais são as diferenças?
As escolas públicas obrigaram o Estado a investir em edifícios próprios e a manter funcionários públicos com vínculos permanentes. As escolas públicas estão em auto-gestão. Logo não há controlo sobre a produtividade ou qualidade dos serviços prestados. Não controlo sobre os gastos. Consequentemente, as escolas públicas são mais caras e menos eficazes. Em Portugal ainda se acredita que uma escola só é um escola se a propriedade das paredes for do Estado e lá dentro só trabalharem funcionários públicos. O resultado é o que temos na Madeira. Temos muitas escolas novas e o triplo dos professores necessários e péssimos resultados escolares.
O que está errado é este pensamento de cariz comunista que acredita, mesmo contra as lições da História, que só o Estado pode prestar serviços. Enquanto esse modelo soviético vigorar não poderá haver reais progressos na educação deste país. Haverá de alguns fogachos, mas não haverá eficácia e qualidade.

E se ...

..dados os resultados impressionantes conseguidos pela Ministra da educação, Maria de Lurdes Rodrigues, hoje expressos através dos resultados do PISA, e tendo em conta as embaraçosas derrapagens que se voltaram a verificar no ministério da saúde...

...Sócrates fizesse voltar à base dois dos melhores ministros que este país já teve: Maria de Lurdes Rodrigues e António Correia de Campos.

Escolas privadas com financimanto público

O plano de austeridade em curso prevê o corte do financiamento das escolas privadas por parte do estado.
Foi através do anuncio desta medida que ficquei a saber que as escolas privadas têm um financiamento público da ordem dos 120.000€ por turma, que passará para os 80.000€.
Sabendo que cada aluno da escola pública custa aproximadamente 4000€/ano, fica-se agora a saber que o estado financia cada aluno do ensino privado exactamente com o mesmo valor que financia um aluno do público.

Se juntarmos ao financiamento público das escolas privadas os benefícios fiscais auferidos pelas classes sociais que têm acesso aos colégios privados, chegamos à brilhante conclusão que o estado gasta mais com cada aluno do privado do que gasta com o ensino público.

E esta, heim!

Wikileaks

Tenho em relação a este tema sentimentos confusos e até contraditórios.

Faz-me alguma confusão que alguém, sem um mandato judicial, e sem que seja para investigar um crime, possa ter acesso a informação que muitas vezes, apesar de envolver pessoas públicas, é informação pessoal.

Apesar do muito que se diz, nada indicia, para já, que a informação foi obtida de forma ilícita. Apesar de subjectivamente imaginar que essa seria a forma mais fácil.
Um ataque informático é crime, mas uma denuncia não é.

Por fim, o facto de se divulgar informação muito sensível em termos de segurança não significa que se o wikileaks pretenda que esses ataques sejam feitos. Se assim fosse o wikileaks venderia esta informação valiosa à primeira organização terrorista que desse mais dinheiro.
Ao não ter actuado assim, a wikileaks demonstra que verdadeiramente quer pôr a informação ao serviço dos povos.
É desta democratização de informação sensível que os governos têm medo. A outra é apenas jogo de poderes com geopolítica e espiões à mistura.

P.S. - Fiquei agradado de saber que o ministro dos negócios estrangeiros do meu país exigiu que nenhum prisioneiro fosse transferido para países onde poderiam ser torturados ou onde existisse a pena de morte. Mostra que mesmo ás escondidas rege-se por princípios.

Maria de Lurdes Rodrigues e o facilitismo

OCDE: Portugal regista evolução "impressionante" nos resultados da avaliação dos alunos.

P.S. - Depois da sua cruzada anti-Maria Lurdes Rodrigues a malta pedante do De Rerum Natura pede um pouco de tempo para digerir esta informação.

P.S. 1 - Os resultados obtidos em olimpíadas da matemática e eventos similares já indiciavam que os resultados estavam mesmo a mudar.

Porque será?

Porque será que os Açores podem evitar diminuir os salários dos funcionários públicos e a Madeira não?
Nos Açores existem cerca de 18.600 funcionários e na Madeira cerca de 30.000. Nos Açores os gastos com despesas de pessoal em relação ao PIB é mais baixo que a média europeia, os gastos da Madeira são os mais altos da UE.

Da falta de vergonha

Em Outubro de 2002, o então Primeiro-Ministro Durão Barroso (PSD), apresentava um Orçamento de Estado para 2003 em que, nas palavras do próprio: "...a Madeira foi prejudicada."Lia-se no Público: "O primeiro-ministro Durão Barroso afirmou hoje que a Região Autónoma da Madeira perdeu, em relação aos Açores, com o Orçamento de Estado para 2003 (...)."

"Em 2003, disse Durão Barroso, os Açores vão recolher 39 milhões, enquanto a Madeira irá receber 23 milhões de euros do PIDDAC."
Há uma redução no PIDDAC para a Madeira. Se há no orçamento deste ano desvantagem comparativa é a da Madeira em relação aos Açores", concluiu o primeiro-ministro."
Qual foi a reacção do PSD-Madeira?
Jardim demitiu-se?
Lançaram um guerra ao Governo da República?
Denunciaram o "garrote"?

Foi esta a resposta: "PSD-Madeira vai votar a favor do OE (2003) por razões de “solidariedade nacional"
"Alberto João Jardim anunciou ontem à noite que o PSD- Madeira vai dar o benefício da dúvida ao Governo e votará a favor do Orçamento de Estado (OE) para 2003, numa “demonstração de espírito de solidariedade nacional”.

Milhões em fuga da Madeira?

Dizer que o fisco perde dinheiro porque as empresas sedeadas no Centro Internacional de Negócios da Madeira têm benefícios fiscais é falso. Simplesmente porque se esses benefícios fiscais não existissem na Madeira, essas empresas estariam noutra zona com um sistema fiscal mais favorável. E nesse caso o fisco português ganhava zero.
Com essas empresas no CINM o fisco arrecada vários milhões em IVA - essas empresas não estão isentas do pagamento do IVA - assegura muitas centenas de empregos qualificados, arrendamentos de escritórios, compra de serviços e material às empresas regionais e pagamento de IRS e Segurança Social dos seus funcionários.
Portanto, sem o CINM a Madeira perde emprego qualificado, aumenta a crise do imobiliário, agrava a situação das empresas locais, perde receita de IVA, IRS e SS.

Tratado sobre o anonimato

(...) Então, o que diferencia o tom civilizado, no café, e o insulto gratuito na caixa de comentários? A pequenez da mesa. A proximidade física torna mais cordiais as pessoas. Já o anonimato das caixas de comentários dá aquela ilusão de distância que leva à impunidade. E esta, como se sabe, faz engrossar a voz.

segunda-feira, dezembro 06, 2010

Política regional

O deputado eleito pelo PS-Madeira votou a favor do Orçamento de Estado para 2011. O PS-Madeira não quer o OE-2011 aplicado na Madeira.

Os deputados do PSD-Madeira votaram contra o OE-2011. O PSD quer e vai aplicar o OE-2011 na Madeira.

sábado, dezembro 04, 2010

Eu gostaria de ter dito isto....

''Temos sido encorajados a gastar dinheiro que não temos em coisas de que não necessitamos para criar impressões não duradouras em pessoas que não são importantes para nós''.


Tim Jackson, autor de Prosperty without Growth?

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Salário Minimo de 500 €

Se os resultados económicos fossem melhores que o esperado, estariam neste momento os representantes dos patrões disponíveis para aumentar o salário mínimo acima do que estava acordado em concertação social?

Estou certo que não.

Então porque raio, perante as dificuldades, terão de ser sempre os mais fracos a ter de ceder?