sábado, novembro 27, 2010

Traidores

Alberto João - traidor
Guilherme Silva - traidor
Vania Jesus - traidora
Hugo Velosa - traidor
Correia de Jesus - traidores

Como é possível que os deputados do PSD que representam os madeirenses tenham votado contra um orçamento que garante integralmente as verbas de solidariedade de todos os portugueses em relação à Madeira?
Portugueses que serão sujeitos a grandes sacrifícios e que apesar de tudo serão solidários.

E no Futuro? Quando precisarmos novamente da ajuda? Como irão os portugueses olhar para este exemplo de traição dos representantes dos madeirenses?
Eu, quando vejo a minha ajuda ser desprezada, não volto a dá-la.
Quem dá, tem sempre opção. Quem recebe, não tem de ser submisso, mas deve no mínimo ser agradecido.

sexta-feira, novembro 26, 2010

Mundo sem fim


Esta obra “World without End” é a sequela do “Pillars of the Earth”. Passa-se na imaginária cidade inglesa de Kingsbridge e é um livro cheio de acção, intriga, aventura, amor, traição e história – apanhando dois grandes eventos a Peste Negra e a Guerra dos Cem Anos. O original em inglês está disponível em versão de bolso (são cerca de 1240 páginas...) na FNAC, por metade do preço da versão traduzida. Aconselho vivamente. Boa leitura.

Vitimização – Reacção – Totalitarismo

Friedrich Nietzsche, na sua “Genelogia da Moral”, dissertou sobre a necessidade cristã de mártires, na sua maioria inventados, de que alimentam a fé e sem os quais extinguia-se, - escrevendo que «o cristianismo (ou a moralidade dos escravos) necessita um ambiente hostil para funcionar, a sua acção é fundamentalmente reacção».

Ora, da mesma forma se organizam e alimentam os movimentos políticos totalitários. Estes transformam a política numa acção bélica, apelando ao sentimento de grupo, região, clube ou raça numa mobilização total e sem condições, num propósito irracional de uma vitória sem outro propósito que não seja ela própria, numa guerra sem quartel contra um inimigo de morte. Num mundo normal e racional, as mesmas pessoas que engrossam estas fileiras recusariam aceitar muitas das coisas, que neste turbilhão de sentimentos e emoções inflamados, passam a considerar normal.

E se não resulta, como não tem resultado? Há um plano B?

Primeiro foi-nos vendido que a ajuda à Grécia iria acalmar os mercados. Não acalmaram
Depois foi-nos dito que a austeridade faria acalmar os mercados. Não acalmaram.
Depois foi-nos vendido que a ajuda à Irlanda iria acalmar os mercados. Não acalmaram.
Agora querem que Portugal peça ajuda ao FMI e que aumente a austeridade, para que os mercados se distraiam da Espanha.

Têm mesmo a certeza que estão a aplicar os remédios certos? Será que ninguém questiona o facto de nenhum deles estar a produzir efeitos?

quarta-feira, novembro 24, 2010

Indicadores do estado da Região

Inside Job


"Inside Job" (A verdade da crise), o filme/ documentário que explica como se chegou à crise financeira de 2008 é, mesmo para quem já conhecia a história, chocante. Deixa-nos com um misto de nojo e raiva pelo grau de ganância e irresponsabilidade que arrasaram a vida de milhões de pessoas. Vale bem a pena ver este "Inside Job".

Quem segura o Jardinismo?

Durante 20 anos (1986 a 2006) o PS teve um Presidente da República da sua área. E nos últimos 15 anos (1995 a 2010) o PS esteve no Governo 12 anos.

O que aconteceu ao regime Jardinista?
Floresceu.

Macy Gray num noite fantástica




Grande concerto de Macy Gray, ontem à noite na Aula Magna em Lisboa. A voz rouca deambulou pelo soul, jazz, r&b e hip hop num crescendo de emoção que acabou com uma sala cheia de gente a dançar. Macy fez-se acompanhar por uma energética corista e por uma fantástica banda. Estes entravam em solos e a primeira saltava para a frente e cantava como se fosse ela a estrela da noite. Macy não parecia se importar em deixar outros brilhar. A festa era de todos. E que festa.


segunda-feira, novembro 22, 2010

Diziam aqueles que tudo previram (à posteriori)

"Depois da Grécia, Portugal é a grande ameaça ao Euro", diziam há apenas 6 meses.

Agora dizem, insistindo na táctica, que depois da Irlanda é Portugal que está na mira, tentando desesperadamente desviar as atenções dos problemas de outros passarões bem maiores e bem mais difíceis de ajudar.

sábado, novembro 20, 2010

Pa amb tomàquet


A coisa é tão simples como saborosa.

1 - Pão de casa tostado.
2 - Esfrega-se um alho por todo o pão.
3 - Barra-se meio tomate maduro por todo o pão.
4 - Tempera-se com um fio de azeite.
5 - Colocam-se umas fatias de presunto fino por cima.

E voilá. Uma delicia.
Pa amb tomàquet (diz-se pa amb tomaca) significa, como já devem ter percebido, pão com tomate, que segundo me consta era usado para amolecer o pão duro.

Só acho estranho ter sido o primeiro no facebook a gostar desta delicia catalã.

Desaparecimento conveniente

Segundo uma notícia do Público, a lista de clientes do repórter de imagem da RTP, desapareceu ou nunca exisitiu.
Confirma-se assim que a justiça, quando se trata de proteger os seus, é implacável. Da mesma forma que é implacável com quem lhes mexe nas benesses e com quem cria sobressaltos no seu diário "dolce fare niente".

Diz o povo sabiamente que «quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão». Assim, os desgraçados dos polícias que deram com a lista, estão agora entre a espada e a parede. Ou são acusados de destruírem prova, ou são acusados de a terem inventado.
De qualquer modo, os políticos, ex-governantes e juízes da dita lista estão, para já, a salvo.

P.S. - Um pormenor interessante da notícia é que pela primeira vez passa a ser incluída na lista do Pinota a existência de polícias. É evidente que os polícias foram lá colocados para tentar deixar a salvo os juízes e procuradores do facto das provas poderem ter sido destruídas. Esta gente trabalha bem bem.

quarta-feira, novembro 17, 2010

Chove em Luanda











Mais uma manhã de calor intenso em Luanda. A caminhada, pela marginal, do escritório à Universidade Agostinho Neto fez-me pensar que já me apetecia um pouco de Inverno. Duas horas depois, quando saia da universidade, as palmeiras da marginal dançavam ao som de um vento bravo, o céu franzia o olho e as pingas grossas de pré-aviso começavam a cair. Não havia dúvida: vem aguaceiro, é melhor fugir e já! Cheguei ao escritório a tempo de escapar ao aguaceiro, mas não das suas consequências. Quando chove em Luanda, a cidade fica (ainda mais) caótica. Nada a fazer. Agora espera-me umas 2 horas de trânsito até casa.

Why Ireland and the EU Are Fighting Over Irish Bailout

O mesmo se aplica a Portugal.

"Fears are high that the crisis might spread as market turbulence it more expensive for other fragile economies like Spain and Portugal to borrow, raising the possibility of future crises requring intervention. EU President Herman Von Rompuy even suggested that the union's very future might be at stake. 'If we don't survive with the eurozone we will not survive with the European Union,' he said."

terça-feira, novembro 16, 2010

Portugal é um país próspero

Quem ao longe, no meio de África, assiste aos telejornais portugueses pensa que aquilo é uma curta-metragem para ser exibida num festival de terror.
Se consultarem o ranking Legatum Prosperity Index verão que Portugal é o 26º país mais próspero do mundo. Colocado à frente, por exemplo, da Hungia, Polónia, Grécia, Correia do Sul, Israel, Arábia Saudita ou Argentina.
Segundo a ONU, Portugal foi o país na Europa que mais subiu no Indíce de Desenvolvimento Humano, nos últimos 5 anos.
Perante o mundo Portugal é mais reputado do que os EUA, Singapura ou Israel. Basta consultar o ranking do Reputation Institute, para constatar que o país está a meio da tabela.
O Eurostat afirma que a nossa economia é a que mais cresce pelo 5.º trimestre consecutivo entre os PIIGS. E que a nossa inflação foi em Outubro de 0,9% enquanto que a média europeia era de 1,9%.
Há muitas e boas notícias sobre Portugal.

Angola rendeu mais que particular do Real Madrid


DN: A viagem a Angola rendeu cerca de 1,5 milhões de euros ao Benfica, acima, por exemplo, do que cobra o Real Madrid, para muitos o maior clube do mundo, por um particular. Como o DN avançou antes da partida para aquele país africano, os encarnados tinham direito a pouco mais de 500 mil euros só pelo jogo com a selecção de Angola, mas os diversos patrocínios e outros prémios renderam o equivalente a quase duas vitórias na Liga dos Campeões.
Só o jogo em Luanda rendeu quase o mesmo que as duas únicas vitórias encarnadas na Champions, cada uma "taxada" a 800 mil euros. Por sua vez, o Real Madrid, normalmente, cobra um milhão de euros por cada particular. Este cachet, revelado por alguma imprensa angolana, entra assim na história do clube encarnado.

segunda-feira, novembro 15, 2010

2011/12 - Anos horríveis para o PS

Espero estar muito enganado, mas parece que o ano de 2011 vai começar com a reeleição de Cavaco Silva. Seguindo-se, na Madeira, um resultado para o PS tão mau ou pior que em 2007. E, lá para o Verão, o Governo PS cai e teremos uma coligação PSD/CDS. Em 2012, Carlos César não se recandidata e o PSD de Berta Cabral ganhará as eleições.

sexta-feira, novembro 12, 2010

Hipócritas de m....

Ainda me lembro do PSD afirmar que os dados do crescimento económico para Portugal, contidos no Orçamento de Estado do corrente ano, eram irrealistas.
Portanto, há pouco mais de 6 meses, estas alminhas apostavam tudo em que Portugal nem 0,7% iria crescer.
Com os dados hoje divulgados, apontando para um crescimento bem superior às melhores estimativas, vem o mesmo PSD afirmar através do seu líder parlamentar que o crescimento de 1,5% é bom mas podia ser melhor.

Quem é que leva esta gente a sério?

Força Nacional

Economia Portuguesa com o melhor desempenho entre os periféricos, e não só.

Parece que a realidade teima em não acertar o passo com as previsões catastróficas dos Medinas Carreiras, dos Duques, dos Bentos, Ricardos Reis, etc. etc.

Este crescimento e aceleração em relação ao trimestre anterior, apesar de ténues, são muito significativos face à realidade que atinge grande parte dos países europeus.
O facto deste crescimento ser em grande medida suportado pelas exportação mostra inequivocamente que estamos no caminho certo.

quarta-feira, novembro 10, 2010

Jornalismo de causas

Numa investigação sobre uma rede de exploração sexual foi identificado um operador de câmara da RTP que mantinha uma rede de contactos, e servia de intermediário entre as prostitutas e os clientes VIP. No computador deste, foram detectados uma lista de individualidades que envolvia diversos políticos, ex-governantes e juízes.
Neste momento podemos afirmar com algum grau de certeza que não há pessoas do PS envolvidas nesta actividade criminosa, caso contrário, os seus nomes já estariam escarrapachados nas primeiras páginas dos jornais.
Com mais certeza se fica quanto ao não envolvimento de socialistas quando o que hoje se afirma na imprensa é que os coitadinhos dos políticos e juízes estariam a ser alvo de extorsão.
É a inversão total perante aquilo que se pretende proteger (ou atacar).

Faz-me lembrar aquela anedota em que um leão se solta em plena baixa pombalina e um cidadão, num rasgo de bravura, atira uma pedra certeira à cabeça do animal, evitando uma tragédia.
Todos os jornais se preparavam para dar a notícia: «Bravura humana salva multidão das garras da besta».
Quando se soube que o homem era socialista o título mudou para : «Socialista assassina brutalmente leão indefeso».

domingo, novembro 07, 2010

Progressistas e reacionários

Desde o 25 de Abril que o PCP tudo fez para controlar os sindicatos, fazendo destes meras correias de transmissão das decisões do partido.

Ainda hoje, temos uma clara imagem do que estou a dizer.
A marcação da greve pelos sindicatos das forças de segurança far-se-á para o período da cimeira da nato , essa organização reaccionária.

Já na visita do progressista Hu Jintao, não passou pelas cabeças dos sindicalistas a manifestação nem a greve, apesar do efeito mediático ser semelhante.

O argumento dos sindicatos das forças de segurança para a marcação da greve foi a degradação das condições de trabalho. Mas parece que isso é apenas uma parte da história.

Antes de defender os trabalhadores é preciso prestar vassalagem ao comité central.

sábado, novembro 06, 2010

Acumulação de reformas e salário

Durante muito tempo, na atribuição de reformas, vigoravam as regras de cálculo que consideravam apenas os melhores 5 anos dos últimos 10 anos, ou qualquer coisa do género.
Este tipo de prática permitia grandes fraudes e injustiças, uma vez que havia gente que com carreiras contributivas muito pequenas, conseguia sugar até ao tutano o sistema de aposentações com o recebimento de reformas douradas, muito acima do que tinham sido as suas contribuições.
O caso dos políticos era apenas um caso particular, onde com carreiras contributivas de pouco mais de 10 anos obtinham reformas vitalícias que não correspondiam às suas contribuições para o sistema. Antes serviam para esconder uma remuneração que se fosse feitas às claras escandalizaria a população.

No entanto há que tratar de modo diferente o que é diferente. Não me choca nada que um político ou quem quer que seja, que tenha contribuído toda uma vida para o sistema de aposentação de acumular com um salário.
Se contribuiu, tem direito à reforma. Se trabalha, tem direito ao salário.

De modo a tornar o sistema mais justo, o que deveria ser feito era, nos casos em que alguém estivesse numa posição de acumular uma reforma com um salário, então o cálculo da aposentação teria em consideração toda a sua vida contributiva, e não apenas os melhores anos, nem admitiria casos particulares como o dos políticos.
Deste modo quem contribuiu apenas durante um período curto, teria direito a apenas uma parcela correspondente à realidade das suas contribuições.
E quanto ao salário, manteria-se a regra. Se trabalha recebe.

sexta-feira, novembro 05, 2010

Cavaco, o poupadinho.

Cavaco já disse que apenas irá gastar metade do que a lei lhe autoriza. Entretanto soube-se que os outros candidatos, gastando tudo o que a lei lhes autoriza, não gastarão tanto como o poupadinho recandidato.

Com cartazes ou sem cartazes, sabe-se que as más companhias do PR custaram ao país mais de 4 mil milhões de euros.

quarta-feira, novembro 03, 2010

''Afinal, quem aumentou a despesa pública?'


Nos últimos 30 anos, a despesa pública aumentou de 29% para 45% do PIB. Um aumento do peso do Estado na economia de 16,3 pontos percentuais, dos quais 12,1 p.p. (75%) aconteceram em governos liderados pelo PSD e apenas 4,2 em governos PS.

Ver aqui.