sábado, novembro 20, 2010

Desaparecimento conveniente

Segundo uma notícia do Público, a lista de clientes do repórter de imagem da RTP, desapareceu ou nunca exisitiu.
Confirma-se assim que a justiça, quando se trata de proteger os seus, é implacável. Da mesma forma que é implacável com quem lhes mexe nas benesses e com quem cria sobressaltos no seu diário "dolce fare niente".

Diz o povo sabiamente que «quando o mar bate na rocha, quem se lixa é o mexilhão». Assim, os desgraçados dos polícias que deram com a lista, estão agora entre a espada e a parede. Ou são acusados de destruírem prova, ou são acusados de a terem inventado.
De qualquer modo, os políticos, ex-governantes e juízes da dita lista estão, para já, a salvo.

P.S. - Um pormenor interessante da notícia é que pela primeira vez passa a ser incluída na lista do Pinota a existência de polícias. É evidente que os polícias foram lá colocados para tentar deixar a salvo os juízes e procuradores do facto das provas poderem ter sido destruídas. Esta gente trabalha bem bem.

Sem comentários: