quarta-feira, novembro 03, 2010

''Afinal, quem aumentou a despesa pública?'


Nos últimos 30 anos, a despesa pública aumentou de 29% para 45% do PIB. Um aumento do peso do Estado na economia de 16,3 pontos percentuais, dos quais 12,1 p.p. (75%) aconteceram em governos liderados pelo PSD e apenas 4,2 em governos PS.

Ver aqui.

4 comentários:

Anónimo disse...

Os políticos são como crianças (e alguns adultos)...gostam de gastar sem se preocupar com o futuro. Dito isto não é possível acreditar nesses valores pois muitos compromissos assumidos por um governo são executados por outro. Veja-se o caso dos submarinos e do futuro TGV que muito provavelmente será "pago" por um governo de cor política diferente.

A crise actual deve-se ao facto da economia viver de ciclos (relativamente curtos) de expansão e "retrocesso" enquanto que os compromissos do Estado e as suas políticas sociais são permanentes e sempre a subir. Num gráfico, quando a linha económica desce acentuadamente e por um período longo abaixo da linha dos compromissos do Estado o "sistema" torna-se insustentável.
Resumindo: não podem haver direitos adquiridos. O Estado enquanto distribuidor dos excedentes de uma sociedade tem que estar preparado para reduzir a generosidade das suas políticas sociais pois não pode distribuir aquilo que não existe.

amsf

Sancho Gomes disse...

Se procurares bem, verás que também D. Afonso Henriques tinha um déficit ainda maior. Ridícula, esta tua (e do PS) tentativa de justificar as trapalhadas deste governo com eventuais trapalhadas de outros. Como também é miseravelmente patético que olvides todos os casos de polícia em que Sócrates e sus muchachos andam metidos e que lhe retira qualquer credibilidade como político e/ou governante.
Mas a opção é tua. Depois não venhas pedir que te reconheçam isenção...

Tino disse...

Sancho,
não achas normal comparar os resultados deste governo relativamente ao défice e à despesa, com os resultados daqueles que afirmam que fariam melhor? Eu acho, não só normal como desejável.
Eu sei que a comparação deixa-te desgostoso, mas a realidade é o que é.

Quanto aos casos de policia a que aludes, o que eu tenho visto, é a justiça a tentar tudo o que pode para entalar o PM, sem que as suas acusações tenham sustentação para mais do que julgamentos sumários na praça pública. Quanto a resultados de acusações: NADA.

Sancho Gomes disse...

Tino,
desgostoso? Ao contrário de ti, não encaro os partidos de forma clubística, por isso, não me desgosta essa comparação. Na política, importa-me mais a ideologia do que a partidocracia. Por isso, se a tua alusão tem a ver com a minha proximidade ao PSD, não tem qualquer sentido. Estou-me a marimbar para o PSD e zse queres saber nunca gostei de Cavaco.
E gostaria mesmo que vivessemos nesse país das maravinhas que tu e o teu querido líder descrevem. Mas a verdade é que desde o 25 de Abril nunca se viveu tão mal em Portugal.
Quanto aos casos de polícia que desconheces, olha, lê a entrevista do teu camarada Henrique Neto, no Jornal de Negócios. E não vou argumentar o teu último parágrafo, porque ele ilustra bem o que eu havia dito anteriormente.