quarta-feira, outubro 13, 2010

A arte de roubar

Coitado de Cristo que vê tão frequentemente o seu nome usado em vão.
Na arte de roubar a igreja católica é uma escola.
Percebo pouco de metáforas bíblicas, mas de certeza que o ladrão que ladeava Cristo na cruz, era um bispo.

Como é possível que o reitor do santuário de Fátima afirme sem se envergonhar que apenas 4% das esmolas dos fieis é devolvido em caridade.
Isso mesmo, dos 20M€ da caridade dos fieis, dão 800.000€ para um fundo de caridade e ficam com os restantes 19,2M€.
E estes senhores, que de cristãos têm muito pouco, ainda enchem a boca para falar dos governos e da finança.

Haverá maiores ladrões que eles?
Vão todos para o inferno.

4 comentários:

Anónimo disse...

mais ladrões que eles? os gatunos, que taqnto defendes... levas algum para casa?

Sancho Gomes

Michelangelo disse...

Tino,

acho que exageraste um pouco neste teu post.

Apesar de concordar que a percentagem das esmolas que são destinadas à caridade parece demasiado pequena não se pode esquecer o papel positivo que a Igreja também tem na sociedade portuguesa.

Desde as obras de caridade, creches com custos mais reduzidos ou mesmo gratuitos para as famílias mais necessitadas, apoio aos sem-abrigo, etc.

Obviamente que é uma instituição com falhas como são todas mas nem por isso se pode aceitar uma generalização como tu fazes.

Tino disse...

Miguel,
tenho o maior respeito por todos aqueles que defendem e aplicam os princípios cristãos de solidariedade por quem precisa.

Não tenho respeito nenhum por aqueles que usando o nome (a ideia) de cristo, apenas pretendem rendimentos e poder.

O caso do santuário de fátima, e outros, é tanto mais grave porque baseado numa mentira criada pela igreja católica, inicialmente com objectivos políticos e agora com objectivos puramente económicos.

Michelangelo disse...

Tino,

eu conheço-te e sei que respeitas - mesmo eventualmente não concordando - a fé de cada um e o princípio da solidariedade.

Mas neste post tomas a parte pelo todo. É o mesmo que dizer que por Fátima Felgueiras ou Isaltino Morais serem corruptos todos os políticos são corruptos.

Depois no teu comentário voltas a não ser preciso: o milagre de Fátima - acredite-se ou não - não foi criado pela Igreja mas sim por 3 pastores. Quanto muito podes argumentar que na tua perspectiva a Igreja se aproveitou deles.

Eu pessoalmente não sei se houve milagre ou não. Acredito todavia que muitas pessoas por força da sua fé ultrapassaram problemas pessoais. Sou um homem da ciência mas a própria ciência demonstra que o pensamento positivoe a confiança pode ter uma enorme força.

Finalmente lembro que as esmolas são dadas de livre vontade por pessoas que de alguma forma acreditam e eventualmente sentem que foram beneficiados por uma força superior.

E quanto ao que cada um sente e pensa eu posso apenas respeitar - concordando ou não.