terça-feira, setembro 28, 2010

Muitas Receitas

A OCDE veio a Portugal apresentar o seu relatório sobre a situação do País e fez algumas recomendações sobre medidas a tomar no imediato e no médio-longo prazo.
Como essas recomendações estão em linha com o que o governo já tinha mostrado intenção de aplicar, toda a oposição caiu em cima da OCDE, acusando-a de estar a fazer propaganda ao governo.
Tão exaltados foram os protestos que até parece que aquelas recomendações são novidades completas e que nunca tinham sido feitas.
Algumas daquelas recomendações até vão de encontro a propostas que os partidos da oposição fizeram no passado. Não interessa. Como agora não dá jeito falar disso então ataca-se a OCDE.

Neste vuvuzear todo, é no entanto preciso realçar o papel do PSD.
Ninguém dúvida que se o PSD estivesse no governo, tomaria as medidas que achasse necessárias para resolver os problemas do país, mesmo que fossem contra promessas anteriores. Veja-se o caso do prometido choque fiscal e o aumento do IVA em 2%, contrariando a promessa eleitoral.
Dito de outra forma. Uma coisa é o que os partidos dizem para conquistar eleitorado, e outra coisa bem diferente é o que tem de ser.
Em tempos de vacas gordas, acredito que os partidos sigam as suas agendas, mas em tempos de dificuldade, fazem responsavelmente o que tem de ser.
Estando na oposição, esperam que os governos tomem as medidas difíceis e impopulares, dando a entender ao eleitorado que fariam diferente. Mas não fariam.

2 comentários:

Sancho Gomes disse...

e tu, nessa tua concepção fantástica de democracia, achas que assim é que se faz política? "porque o PSD mente, eu também minto e não há problema", pareces dizer...
com políticos destes (jovens, ainda por cima), estamos bem quinados...

Tino disse...

Não deixa de ser democracia por os políticos mentirem.
As pessoas têm sempre a opção de escolher o mentiroso mais convincente ou o que lhes parecer menos mentiroso. Além disso têm sempre a hipótese de castigar quem mentiu se acharem que os políticos que não tiveram hipótese de provar se estavam a dizer a verdade, por terem sido derrotados eleitoralmente, poderiam fazer melhor.

Para finalizar, acredito que as pessoas votam mais pelo "histórico" do que pelo que é dito em campanha eleitoral. O povo, como colectivo, tende a ser muito inteligente.