terça-feira, maio 18, 2010

Luís Calisto e a loucura

Só agora tive acesso ou texto de Luís Calisto sobre a sua demissão. Isto é um país de loucos. Há uns meses o Mário Crespo terá ouvido dizer que alguém ouviu Sócrates dizer a Nuno Santos que o primeiro era "um louco", "um problema", ou coisa parecida. Sócrates e Nuno Santos desmentiram e a pessoa que terá ouvido nunca foi identificada. Um diz que me disse que alguém ouviu não se sabe bem o quê. Ora, esta mão cheia de nada foi o suficiente para despoletar uma enorme onda de discussão, indignação e outros "aõs".
Agora temos o director do jornal de maior circulação na Madeira que se demite e afirma que Alberto João Jardim faz um "cerco ao nosso jornal"; "desvirtou o mercado regional dos media, passando expressamente a beneficiar em 1992 um jornal concorrente - o Jornal da Madeira - com uma verba anual astronómica. Em 2009, o total dos apoios recebidos por aquele órgão ascendia aos 42 milhões de euros. Trata-se de uma injecção de 11 mil euros diários no JM, com discriminação do resto da imprensa.", de "intimidar os empresários que anunciavam no DN" e as reacções de jornalistas, políticos, instituições e reguladores é ... nada.

Sem comentários: