terça-feira, maio 11, 2010

Da paternidade do "Monstro"



"Quando o PSD está no poder o monstro cresce mais, em média, do que quando o PS está no governo."
Ricardo Reis no "i". Ler o artigo na integra.

2 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

O monstro é imortal... tal como o Camões, ou até o Eusébio...

Este monstro jamais será eliminado, infelizmente...

Luís disse...

Afirmar que o "monstro cresce mais" com base nesse gráfico só pode ser má fé. Esse artigo é mais um bom exemplo do mau jornalismo que se faz em Portugal e tirar conclusões a partir dessa série de dados é uma boa demonstração da desonestidade intelectual e/ou mediocridade técnica desse jornalista. Basta olhar para os picos do gráfico para constatar que estão alinhados com os períodos de abrandamento económico e não necessariamente com o aumento dos gastos públicos. A utilidade do rácio [gastos públicos / PIB] nesse tipo de análise é praticamente nula, uma vez que o crescimento do “monstro” pode ser camuflado pelo crescimento económico ou empolado pelas recessões. E mais: é normal haver um aumento dos gastos com prestações sociais nos períodos de crise, o que não significa que o Estado esteja a crescer. E atenção: até pode ser que o Estado tenha crescido mais durante os governos do PSD mas não é com uma análise dessas que se pode tirar essa conclusão.