quarta-feira, maio 19, 2010

As britadeiras, para já, podem ficar onde estão

Governo regional decide acabar com as casas nos leitos das ribeiras.

Como é óbvio, o problema não são apenas as moradias, mas todas as construções que de alguma maneira dificultam o escoamento das águas, pondo em perigo as próprias construções e os outros.

2 comentários:

tukakubana disse...

Viva. O tukakubana.blogspot.com, distinguiu o Farpas da Madeira com um prémio. Agradecia que por lá passasse para o recolher. Obrigada.
tukakubana

Anónimo disse...

A mim não me preocupa o facto de retirarem as moradias dos leitos das ribeiras mas o facto de não terem pago o preço político por terem permitido que lá as construissem...aliás receberam 740 milhões como recompensam para regressarem à política do cimento. Poucas pessoas terão pensado que a Lei dos Meios poderá ter consequência negativas para terceiros. Quem é que me garante que, sob a capa desta lei, não serão expropriados terrenos para realojar as vítimas deslojadas pelo temporal bem como pelas expropriações nos leitos das ribeiras. É que a lei de meios também pode ser usada para isto...e segundo o que se houve os expropriados nada podem fazer judicialmente...

amsf