quinta-feira, abril 08, 2010

Será inveja?

A mim não me choca nada que o Mexia ganhe 3M€ por ano. A mim choca-me apenas que devido à falta de concorrência e de uma regulação que proteja os consumidores e limite os aumentos do preço da electricidade (indexando-a aos preços no exterior, onde há concorrência, por exemplo), uma empresa que funciona praticamente em monopólio consiga atingir lucros tais que justificam um tal prémio milionário aos seus administradores.

Com concorrência e/ou com outra regulação, se os administradores conseguissem os lucros que agora atingem, só mereceriam o maior aplauso da minha parte.

2 comentários:

Anónimo disse...

Há um pequeno pormenor de que ninguém se lembra. A EDP vende a energia eléctrica a um preço superior ao que é pago pelo consumidor sendo que o diferencial está a ser suportado pela ERSE através de endividamento bancário que é suposto ser, mais tarde ou mais cedo, pago pelo consumidor final. Só que este não o paga porque nenhum governo tem coragem para actualizar a energia eléctrica de forma a atenuar esse défice que se tem acumulado de forma monstruosa. Se preços subissem os c/ de 20% que seria necessário para que não se continuasse a acumular dívida certamente que as vendas da edp baixariam e consequentemente a prestação profissional do sr. Mexia.

Se o sr. Mexia é um génio que o coloquem na CP e ai veremos se o mérito é dele ou do facto de gerir uma empresa que beneficia do facto de ser um monopólio e de ter uma ERSE que acaba por funcionar como uma espécie de engenharia financeira.

amsf

Anónimo disse...

Por outro lado não somos só nós a pagar esses salários e prémios exorbitantes. Uma vez que a EDP se internacionalizou também outros consumidores contribuem para o bolo e o facto deste governo ter subido a taxa de IRS (45%)sobre os rendimentos superiores a 150 mil euros ajuda a recuperar uma parte do "roubo". Dêem prémios aos que têm rendimentos perto dos 150 mil e o contribuinte ainda fica a ganhar!

amsf