quinta-feira, março 11, 2010

O fatalismo de ser irresponsável

Em resposta ao Sancho.

Só há dados meteorológicos de precipitação da Madeira desde 1865. Ou seja, aquando da grande aluvião de 1803 não era hábito efectuar esse tipo de registos. Portanto, dizer que esta chuva foi a maior dos últimos 200 anos é especulação e não tem fundamento nos dados disponíveis.

Só mesmo num regime que sobrevive à custa da propaganda é que se pode afirmar que esta chuva foi a maior de sempre.
Ainda este ano, no dia 2 de Fevereiro houve níveis de precipitação semelhantes aos que ocorreram no dia 20, com a diferença de terem ocorrido na costa norte, que é menos densamente povoada, não tendo por essa razão provocado mortes.

No meu entender, permitir a construção em linha de água ou em leito de cheia, é um erro pela qual já pagamos muito caro, e se não tomarmos medidas voltaremos a pagar.

A titulo de exemplo, por cima da corujeira, no monte, existe uma britadeira que foi construída em cima do ribeiro, tendo este sido remetido para uma manila que 1m de diâmetro.
Com a quantidade de precipitação que se verificou no dia 20 de Fevereiro, a água foi obrigada a procurar outro caminho, acabando por provocar deslizamentos de terras e danos materiais e, pior que isso, vidas humanas.

Sim. Quem licenciou aquela instalação industrial, foi um governo do PSD. Sabendo que era uma zona de risco.
Por isso, não pode deixar de ser responsabilizado.

P.S. Ainda me lembro quando a marina do Lugar de Baixo foi destruída pela primeira vez, que os sábios do PSD asseguravam que uma ondulação como aquela nunca tinha acontecido e com certeza não voltaria a acontecer. Daí para cá esse acontecimento extraordinário já se repetiu diversas vezes.

Sem comentários: