sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Nem o QREN

O plano do governo para controlar a comunicação social está neste momento com uma taxa de execução ainda mais baixa que o QREN.
E ainda podia estar pior, não tivesse a oposição em peso, incluindo o Presidente da República, rejeitado a lei da não concentração dos órgãos de comunicação social.

Será que ninguém percebe que aqueles a quem acusam agora de querer controlar a totalidade da comunicação social são os mesmos que tentaram impedir a concentração nos órgãos de comunicação social?

Serei o único a ver a enorme contradição nestas duas acções: criar um grupo poderoso de comunicação, controlado pelo governo, e impedir a possibilidade de existência desse grupo.

1 comentário:

Anónimo disse...

Mudam-se os tempos mudam-se as vontades.
Já dizia o JMB.