sexta-feira, fevereiro 26, 2010

Mudar tudo, para que fique tudo igual

Há coisas que não mudam. Alberto João Jardim anuncia que nada será como dantes na política regional, para ficar tudo exactamente na mesma.
Jardim substituiu os "traidores" pelos "abutres". A mensagem é a mesma. A verdade oficial não deverá ser criticada, questionada ou contrariada. Quem o fazia no passado era uma "traidor", hoje é um "abutre". A democracia na ilha vai continuar a ser um mito.
Jardim controla toda a informação, dá ordens para que ninguém fale, manipula as informações e esconde dados, impõem aos jornalistas a sua agenda e continua a fazer pressão sobre aqueles que não cedem. A liberdade de imprensa na Madeira vai continuar a ser um mito.
Jardim diz que está muito contente com o Primeiro-Ministro. Claro que está à espera de dinheiro. Muito dinheiro. Assim que o receber, dirá o dito pelo não dito e voltará a atacar com os piores impropérios todos os dirigentes do PS.
Jardim volta a mentir em directo. Diz e volta a dizer que não se recandidata. Depois fará a costumeira volta à ilha. No final, muito emocionado pelos apelos e com muito sacrifício vai decidir se recandidatar. Mas, agora sim, vai prometer, é a última vez. Depois, serão feitas obras à pressa e serão marcadas as suas inaugurações em cascata em pleno período eleitoral.
Será lançada uma campanha de ódio contra todas as pessoas que ousarem criticar ou questionar seja o que for. Desta vez será dito que essas pessoas estão contra a reconstrução, não querem que se ajude os madeirenses e serão "abutres", "traidores", "vendidos", etc.
Tudo isto terminará com imensos negócios feitos por encomenda para os empresários amigos do regime, mais dinheiro a entrar em contas privadas por pagamentos de "atenções" e naturalmente mais uma vitória eleitoral para os "salvadores" e "reconstrutores".

4 comentários:

PAULO CAFÔFO disse...

Concordo em absoluto (não sei porquê mas esta palavra arrepia-me...)com o que disse. Aliás já estou a ver esta catástrofe servir de argumento, para AJJ voltar atrás (mais uma vez..) e continuar eternamente (até que a morte nos separe, e mesmo assim tenho dúvidas...)na liderança deste povo superior.

Donato Macedo disse...

É um déjà-vue.

Du'art disse...

Algum descaramento ao dizer que as obras da Madeira Nova aguentaram-se. Via Expresso Serra de Água foi feita pelo D. Carlos????

Bruder disse...

Entre outros argumentos, a divida da Madeira será , ela também, justificada pela desgraça da incúria.E tenha a certeza que ninguém ousará criticá-lo, na esperança de receber do regime instalado a sua parte de migalhas.Já agora, que bofetada de luvas brancas, que gesto nobre o desse Povo Timorense !Confundir este bocaças pelo Povo da Madeira , é a mesma coisa que confundir Luís XIV pela França .Neste caso " L ´Etat n´est pas lui".Bem haja Timor !