sexta-feira, janeiro 29, 2010

Ter razão é ter razão!

Há quem diga que em política não é bom ter razão antes do tempo. Há sempre os manhosos que se escondem nas meias-verdades e só depois do estrago feito é que aparecem como profetas-do-dia-seguinte. A verdade é que no fim de contas, ter razão é ter razão. E já no dia 18.12.2009 o deputado Carlos Pereira afirmava num artigo publicado no Diário:
"(...) este endividamento supera largamente o valor do total do plano de investimentos (grande parte dele um autêntico rol de dívidas de projectos já executados mas ainda por pagar!) significando que o Governo já pede dinheiro para pagar o funcionamento da administração pública e as dividas do passado, que ultrapassarão em 2010 os 5 000 milhões de euros, traduzidos em vários formatos de dívida: a divida junto da banca (são mais de 1100 milhões de euros), a divida através de avales que consubstanciam dívida efectiva (1500 milhões), a divida de operações complexas como a venda de créditos (150 milhões), a dívida através de engenharias financeiras, como a vias litora e expresso (1 000 milhões de euros, sem contar com encargos), a divida configurada em hipoteca de activos de investimento (150 milhões), a divida do Sector Público Empresarial (1 000 milhões) e a divida junto aos fornecedores.(...)"

Sem comentários: