quarta-feira, setembro 30, 2009

VOTE!

No Arrastão está a decorrer um inquérito sobre as intenções de voto nas próximas autárquicas nos vários concelhos. O Funchal é um deles. Vá lá e participe.

Cavaco de cabeça perdida

Cavaco Silva fez uma declaração ao País sem pés nem cabeça.
Acusou o PS de criar um caso para tentar colar o PR ao PSD.
Ora. Toda a actuação de cavaco neste caso apenas vieram confirmar as suspeitas que os socialistas expressaram ao dar destaque a noticias que indicavam que os assessores presidenciais estariam a participar na elaboração do programa do PSD.
Enquanto a inventona serviu ao PSD o presidente da república nada disse, ampliando com o seu silêncio as suspeitas contra o governo ou contra o PS.
Só quando o assunto começou a correr mal para o PSD, ou seja, com a revelação do mail que, não tendo sido desmentido por ninguém, mostravam que tinha sido a própria presidência a plantar noticias nos jornais, com o objectivo de corroer o governo, é que cavaco veio a terreno, afastando Fernando Lima tentando passar para outros as suas responsabilidades.

O fim da declaração presidencial é de morrer de rir.
Cavaco, antes de se saber do mail entre Alvarez e Tolentino, disse estava preocupado com a segurança e que depois das eleições falaria dela.
Hoje na declaração lá veio o tema da dúvida sobre a segurança dos seus mails.
Se existem falhas de segurança graves no sistema informático da presidência estas são responsabilidade sua e nunca do governo.
Qualquer pessoa com alguns conhecimentos consegue aproveitar-se dessas vulnerabilidades.
A haver suspeitas estas devem ser generalizadas e não apontadas ao governo.

Cavaco, não é o presidente de que o País precisa.

terça-feira, setembro 29, 2009

Assessores de belém

Desde hoje à tarde a Presidência da República passou a ter assessores informáticos, que serão pagos a peso de ouro, para dizer ao presidente da república o que toda a gente já sabe:

TODAS AS REDES INFORMÁTICAS TÊM VULNERABILIDADES

E se alguém lhe disser que elas não existem é porque está a mentir.

Emprego

Empresa Angolana pretende recrutar um(a) colaborador(a) com experiência em Estudos de Avaliação de Impacte Ambiental (EIA e RECAPE) e de Estudos deAvaliação Ambiental Estratégica.

Perfil do Candidato:- Licenciatura em Engenharia do Ambiente,* Ordenamento do Território ou numa área similar;
*Experiência em Estudos de Avaliação de Impacte Ambiental (EIA e RECAPE) e de Estudos de Avaliação Ambiental Estratégica;
- Disponibilidade imediata;
- Dinâmico;-
Empreendedor.
- Disponilidade para residir em Luanda
- Encorajamos os RECEM LICENCIADOS a candidatarem-se
-Oferecemos* Salario Base atractivo* Transporte com Motorista* Alojamento* Viagens de Ferias em Portugal

Para tal os candidatos deverão enviar o respectivo curriculum vitae até ao próximo dia 30 de Setembro de 2009 para o seguinte endereço de e-mail: gb.rhumanos@gmail.com

segunda-feira, setembro 28, 2009

Machico II

Tinha escrito uma asneira de todo o tamanho, mas já retirei.
O PSD foi segundo em 2005, e ganhou votos agora, ao contrário do que eu havia colocado no post retirado.

"It's the economy, stupid"*

O PS de Sócrates não fará coligações. Fará acordos parlamentares pontuais. E governará até onde lhe deixarem governar. O que fará a a Oposição? O PCP e o BE estarão sempre de faca na liga, à espera de deitar abaixo, destruir. Está na sua natureza, são partidos anti-poder, do contra, da contestação, das manifs, não querem governar, contentam-se em não deixar governar. O PSD e o CDS são partidos com vocação de poder. Querem governar. Mas têm poder para tornar o país ingovernável, já que todos sabemos que para a ingovernabilidade terá sempre a extrema esquerda pronta a ajudar. Portanto, como será?
A resposta está na Economia. Este primeiro orçamento vai passar nas calmas, o segundo - o final de 2010 - passará mas sob contestação. A hora da verdade será 2011. Se a Economia estiver em recuperação e houver uma forte possibilidade de em 2013 a Economia estiver a criar postos de trabalho, a empresas ter lucros, as receitas fiscais a aumentarem, etc. então o Governo cairá. Porque a Direita não quererá arriscar enfrentar Sócrates cavalgando um bom clima económico. Porque arrisca-se a não conseguir travar um 3.º mandato. Se, por outro lado, a Economia estiver em mau estado, a contestação será muita, mas a palavra "estabilidade" será ouvida e deixarão PS queimar em lume brando até as eleições em 2013. É a Economia....
*Frase usada por Bill Clinton na sua campanha de 1992.

Cheira-me a esturro

É impressão minha ou o Presidente da República ainda não felicitou o vencedor incontestado destas eleições?

Outras sondagens II

Aquando das apresentações dos respectivos orçamentos para as campanhas eleitorais das legislativas, apresentei aqui uma estimativa de resultados eleitorais baseada no peso dos gastos eleitorais de cada partido.
Os resultados obtidos na altura foram:

1 - PS - 36%
2 - PSD - 32,8%
3 - CDU - 11,5%
4 - BE - 10,4%
5 - CDS - 9,3%


Parece-me evidente que as sondagens encomendadas por cada partido, para uso exclusivamente interno, são muito mais fiáveis que as encomendadas pelos órgãos de comunicação social para divulgação pública.

P.S. - A sondagem na posse do PS-M, cuja divulgação, ainda não se sabe por quem, deu origem ao afastamento de Jaime Leandro e Victor Freitas, previa um resultado para o PS-M semelhante ao que se veio a verificar.

Resultados legislativas de 2009

O PS venceu estas eleições. As condições em que estas eleições decorreram foram de uma dureza nunca vista.
A crise económica mundial juntamente com algum (muito) descontentamento decorrente de algumas reformas realizadas pelo governo socialista, a que se juntou uma campanha de ataque pessoal contra José Sócrates, levaram a um inevitável desgaste do eleitorado que em 2005 votou no PS.
As condições para formar governo e poder governar com alguma estabilidade revelaram-se mais difíceis do que seria espectável antes destas eleições.
Ironia do destino, apesar de uma maioria de esquerda no parlamento PS+BE+PCP, será mais fácil estabelecer acordos com a direita, PS+CDS ou PS+PSD, tendo em conta que é necessária apenas a negociação com um partido.

De lembrar ainda que esta legislatura terá poderes de revisão constitucional, necessitando da aprovação de 2/3 dos deputados. O PS+PSD com 65% dos votos, deverão ter 77% dos mandatos. Mais que suficiente para encarar a revisão constitucional com alguma tranquilidade.

Já no plano regional, os resultados do PS-M deixam-me deveras preocupado. As fracas votações estão a cristalizar-se, dando a sensação de que os maus resultados conjunturais estão a transformar-se em estruturais, ou seja, o PS-M parece estar a perder definitivamente a confiança dos eleitores madeirenses. Precisamos urgentemente inverter este caminho.

Termino com o desejo de bom trabalho a todos os deputados eleitos pela Madeira, com especial destaque para o meu camarada Bernardo Trindade e para José Manuel Rodrigues que conseguiu um resultado eleitoral surpreendente.

sábado, setembro 26, 2009

Vamos fazer de conta que ninguem percebe !?

Hoje, dia de reflexão para as eleições legislativas, o Funchal continua inundado de pendões a apelar ao voto no PSD e na CDU.
Todos os outros partidos retiraram o material de campanha que continha o apelo directo ao voto num partido, ou que estava identificado com as eleições legislativas.
Estou mesmo a ver que amanhã será um dia de muito trabalho para os delegados eleitorais.

Reflexão

Avançar ou Rasgar?

sexta-feira, setembro 25, 2009

Que criatvidade!!

É por isto que o PSD ganha eleições na Madeira. Além de ter políticos de elevada craveira intelectual, como por exemplo Jaime Ramos, de contar sempre com uma argumentação clara, verdadeira e actual, como se viu nesta campanha por Guilherme Siva, de se renovar e dar lugar à juventude, como se vê por Jardim, de ser um exemplo de ética, como se pode constar por António Lobo, é de uma criatividade explosiva, como se pode constatar pelo slogan de campanha de Miguel Albuquerque: "Funchal Cidade Qualidade". Meu Deus! Quem se lembraria de tal coisa? Fantástico! Melhor só o cartaz do PSD para as Legislativas, onde se percebe claramente que as fotos dos vários candidatos foram coladas ali, apanhando até o Velosa completamente distraído. Brilhante!
E ainda há pessoas que pensam que as vitórias do PSD se deve ao clima de medo que mantêm no ar, a uma enorme rede de caciques e à propaganda incessante com os meios públicos!

O velho cavaquismo de sempre

Afinal "Cavaco mantém confiança em Lima e assessor fica em Belém"

Será que agora o Cavavo deixa de ser "exemplar"?

O Vale-tudo do PSD-madeira

No mesmo dia e há mesma hora em que o Carlos Pereira estava numa mesa de voto de uma paróquia, eu estava noutra igualmente populosa. Onde estava, o presidente da junta (do PSD) esteve à porta a cumprimentar e "aconselhar" os votantes. Havia bandeiras do PSD mesmo em frente (acto ilegal...) e havia caciques laranjas a transportar gente em carros, carrinhas e em grupos organizados. Veio até pessoas moribundas trazidas pelos bombeiros que votaram dentro da ambulância. A certa altura houve um tipo que entrou dentro da cabine de voto com uma senhora e apontou para o quadrado do PSD e disse "é aqui que é para colocar a cruz". Como membro da mesa insurgi-me de imediato e disse-lhe que tinha de sair imediatamente. O tipo olha para mim e diz que estava só a a"ajudar" e continuou a "ajudar" a senhora. Foi preciso tirar-lhe de lá à força. Mas como a falta de vergonha não tem limites o cacique foi chamar a PSP ara se queixar de mim.

Afinal quem é que está a MENTIR?

Guilherme Silva (PSD) redigiu e enviou ao Diário uma nota que diz: "É falso que na Cimeira de Zamora tenha defendido o TGV, cuja oportunidade questiono."

Afinal o que é que se passou em Zamora?

(...)
Depois dessa reunião, Guilherme Silva disse à Lusa que apesar da pressão económica actual é vital que se continuem a intensificar as ligações ferroviárias e rodoviárias entre Portugal e Espanha, o que em muitos casos pode igualmente ajudar a desenvolver zonas transfronteiriças carências."

Democracia e Liberdade é na Madeira II

André Freire: (...) Há factores que não podem ser ignorados, como a "instrumentalização de órgãos de comunicação social, a proibição de um deputado entrar no parlamento regional e o facto de o presidente do Governo Regional quase não se deslocar à Assembleia Legislativa".

quinta-feira, setembro 24, 2009

Quadro/Sondagens e Barómetro

Acompanhe neste Quadro todas a sondagens realizadas nas últimas semanas. Consulte o Barómetro Político (ambos da Markteste). Repare no índice de expectativa.

'Dos bons e maus usos da Utopia em política'

Nenhum político pode aspirar à melhoria real da sociedade de cujos destinos se encarrega se considerar o exercício do poder como sendo a manutenção do status quo. Em certo sentido, um bom político tem que ser optimista, é certo, mas também insatisfeito; deve sentir em si a força motriz do progresso, da mudança em direcção a algo de melhor. E deve lutar por isso.

(Texto da autoria de Gonçalo Marcelo, doutorando em Filosofia na Universidade Nova de Lisboa) via SIMplex.

Democracia e Liberdade é na Madeira II

Governo da Madeira processa “Expresso” por notícia sobre visita de Ferreira Leite

Sobre isto e sobre todas as perseguições a jornalistas, não se ouve dos militantes do PSD-Madeira nem uma palavra. Nem sequer aqueles que se fartam de afirmar que são jornalistas (com a carteira suspensa) e são cheios de ética e pela liberdade de imprensa. Como é que esta gente saí à rua?

Tudo depende dos indecisos


A vitória da esquerda ou da direita no próximo Domingo vai depender dos indecisos entre o PS e o BE.

Asfixia democrática era isto


A mordaça que o PSD colocou nos agentes de educação. Isto é que era asfixia democrática.

À Direita

Se eu fosse de direita votaria no CDS-PP. Enquanto o PP tem um projecto claro, o PSD tem um apanhado de coisas vagas e confusas. O que quer o CDS da Segurança Social, da Economia, da Segurança, etc. é claro. Ninguém sabe, nem os próprios, o que quer o PSD para o país. Onde o líder do PP demonstra dinâmica, o PSD está amorfo.
Acho que o cartaz está certo "Há cada vez mais pessoas a pensarem como nós [eles]".

Mais uma mentira do PSD que se descobre

Sindicato dos profs: O PSD enganou os profs
André Escórcio: O PSD mentiu aos profs.

Devaneios

Guilherme Siva descobriu que afinal Bernado Trindade prejudicou o Porto Santo. Consta que depois foi cumprimentar um elefante azul e jurou que tinha falado com unicórnio.

PS aumenta distância do PSD

PS: 40%

PSD: 31,6%

BE: 9,2%

CDS-PP: 8,2%

CDU: 7,2%

OBN: 3,8%

Fonte: TSF

quarta-feira, setembro 23, 2009

Nova Sondagem

Consta que um dos partidos leva 9% de avanço. Já na casa dos 40%. Descubra qual é...

Foi o slogan do PS-Madeira em 2004


Até tu, Mário?

O presidente da República, o mais alto magistrado da nação, o comandante em Chefe das Forças Armadas, sabe que está a ser espiado. Tem a certeza disso porque, da sua doutrina passada ficou o axioma de que "raramente se engana e nunca tem dúvidas". Estando a ser espiado qual é a actuação realmente presidencial para este caso? Exigir do procurador-geral da República uma investigação imediata? Convocar o Conselho de Estado (já com a respeitabilidade recuperada desde a saída de Dias Loureiro)? Fazer uma comunicação ao Parlamento como é seu privilégio e, neste caso, obrigação? Nada disso! A Presidência de Cavaco Silva, através da sua Casa Civil, decide encomendar (mandar fazer in: Dicionário Porto Editora) uma reportagem a um jornal de um amigo.
Como os jornalistas são por vezes um bocado vagos e de compreensão lenta, a Casa Civil da Presidência da República achou por bem ser específica na encomenda dando um briefing claro a pessoa de confiança no jornal. "Vais falar com fulano e pergunta-lhe por sicrano, vais aqui, vais ali, fazes isto e aquilo e trazes a demasia de volta". O homem ainda tentou cumprir com a incumbência, mas a coisa não tinha pés nem cabeça e parece que lhe disseram isso repetidamente. (...)

Mário Crespo no Jornal de Notícias

Mais um inventona do PSD que se descobre

Nota: Conhecendo o Dr. Laborinho Lúcio, estou certo que tem razões ponderosas para fazer tal proposta. No entanto, não devo deixar de achar estranho que o juiz Rui Teixeira tenha sido classificado como "Muito Bom" quando se sabe que a sua intervenção no Processo Casa Pia foi em violação do princípio do juiz natural (i.e. o processo não era dele mas sim de um colega que não o queria e eles decidiram - ilegalmente - que Teixeira seria o juiz, o que viola as regras do Código de Processo Penal. Os processos são distribuídos aleatoriamente aos juízes e estes têm que ser responsáveis por eles, não podem decidir quais os querem e quais os que não querem, porque isso colocaria em causa a sua isenção) e interveio de forma ilegal no processo o que fez com que os advogados pedissem a anulação de todos os actos. Portanto, com essa brincadeira o Juiz Teixeira quase destruiu o processo e a investigação. Parece-me óbvio que quem tem um atitude tão grave, não pode ser classificado sequer com "suficiente".

Mas que elas existem, existem

Caro Gonçalo

depois de ter enviado umas cartas do leitor para o Diário expressando a minha opinião sobre a política e actuação do PSD na Madeira, fui alvo de perseguição e ameaças no meu local de trabalho. Na mesma esteira, Alberto João Jardim mandou o deputado Coito Pita me perseguir com um processo crime - repara no pormenor: um deputado que devia me representar, garantir a minha liberdade de expressão e fiscalizar o Governo Regional - estava (e está) a soldo do Presidente do Governo Regional a receber dinheiro dos meus impostos para me perseguir- que durou 5 anos até chegarmos a julgamento e que ainda não está findo. Eu não sou uma vitima. Apenas te dou o relato daquilo me aconteceu aqui, nesta ilha que é tão minha como tua, como de Jardim e de todos os outros. Estes são factos e penso que não tens razões par duvidar da sua veracidade.
Eu sei que tu não promoves, defendes ou concordas com estas actuações. Mas por favor não faças de conta que elas não existem. Porque são bem reais e quotidianas. Não são dos fanáticos ou dos grunhos que se espera alguma reacção a esta forma de actuação. São pessoas como tu que têm essa responsabilidade. Espero que o último reduto da dignidade do PSD Madeira não desapareça na espuma da irracionalidade do Regime.
Abraço

Democracia e Liberdade é na Madeira (links corrigidos)

Pensa Madeira: 24 de Abri de 74

Com que então: Gritos mudos

Duarte Gouveia: O Curral do PSD

Urbanidades: Apagão

Cortar (d)a direita: Mais verba pública para fins eleitorais

Mentes brilhantes

Velosa acusa Trindade de "trair a Madeira" in DN-M

Que rasgo de génio! Que tirada surpreendente! Inspirado e inspirador, profundo, inovador e motivante! Ninguém se lembraria que o PSD iria chamar Trindade de traidor. Que surpresa! Assim vale a pena seguir o debate político madeirense. Enquanto Trindade se diverte com factos, ideias, projectos. Os fantásticos políticos do PSD não se deixam arrastar para esse tipo de debate. E eis que Velosa surpreende tudo e todos com esta pérola. Não há duvida. Há que reconhecer. O PSD ganha as eleições porque tem políticos de levada craveira intelectual e consequentemente uma argumentação sempre brilhante e imbatível.
E reparem no remate de puro génio de Velosa: "É falso que tenha ajudado a Madeira, não fez mais que o seu dever, enquanto secretário de Estado".
Velosa não contradiz nada do que Trindade fez pela Madeira. Ou seja, reconhece que é verdade. Mas, e é aqui é que mora a genialidade, considera que não fez mas do que o seu dever. É verdade, mas há falta de argumentos, é falso. Perceberam?

terça-feira, setembro 22, 2009

Elevação

Lacaios, idiotas, néscios, criaturas são apenas alguns mimos com que temos sido brindados pelos senhores das conspirações.
Sem dúvida nenhuma, uma forma elevada de expor as diferenças.
Os outros são os bichos da lama. Nós somos os iluminados.
Posto desta forma, quase que nem é preciso discutir ideias.
Só alguém muito desprovido de bom senso é que abandonaria o exército do Bem para se juntar a estes turcos, que só querem o fim da paz e da felicidade.

Oh meus amigos, deixem-se de catalogar as pessoas e discutam ideias e projectos.
O que defendem para o futuro do nosso país e da nossa região?
Que saúde, que educação, que segurança social, que justiça, que sistema político?
Façam o favor de brincar-nos com as vossas ideias. Apresentem-nas e defendam-nas, mesmo que sejam impopulares.

Sei que pensam pelas vossas cabeças. Deixem os outros fazer o mesmo.

Day after

Na ressaca das eleições legislativas, o Presidente da República terá muito que explicar sobre a sua vergonhosa tentativa de influenciar o rumo da campanha eleitoral.
Toda a actuação de Cavaco Silva e da sua equipa visaram unicamente o apoucamento da imagem do governo em funções e dos seus membros.
A história do Jeep cheio de papelada para ler nas férias, os vetos, as insinuações baixas, a participação dos seus assessores na elaboração do programa do PSD, a sintonia com MFL, e finalmente a inventona das escutas, tudo isso condicionou o debate político e retirou da agenda a discussão séria dos programas eleitorais de cada partido.
Sempre que as coisas apertavam para o lado do PSD, lá vinha mais um caso mesquinho com o patrocínio do Presidente.
A demissão do amigo e assessor de longa data de Cavaco, Fernando Lima, só pode ser vista numa lógica de contenção de danos.
No dia 28, a derrota também será de Cavaco.

segunda-feira, setembro 21, 2009

domingo, setembro 20, 2009

Medo, tenham muito medo.

Quando o PS chegou pela primeira vez à maioria absoluta,
Mudou o presidente da RTP? Não.
Mudou o Presidente da TAP? Não.
Mudou o presidente da Agência Portuguesa para o Investimento? Não.
Mudou o director geral de impostos? Não.

Além disso,o governo socialista colocou algumas pessoas conotadas com o PSD em lugares de destaque, como a CMVM.

E no tempo do governo PSD de que Ferreira Leite fez parte, como foi?
Ainda se lembram por onde andavam Cardoso e Cunha, Dias Loureiro, Daniel Sanches, e tantos tantos outros?
Pois é.

sábado, setembro 19, 2009

A presidencial filha da putice

Está-se mesmo a ver que a bomba das escutas a Belém vai rebentar nas mão de quem a queria mandar para outros, ou seja, o nosso miserável presidente da República e os seus homens de confiança, onde se pode incluir o director do Público, José Manuel Fernandes.
Numa tentativa desesperada de justificar a inventona, ouvia-se hoje na rádio que depois de há um mês atrás terem surgido as noticias das escutas, que o PR tinha encomendado uma vistoria de segurança e que esta nada tinha revelado.
Acontece, que a noticia das escutas foi encomendada há mais de um ano e meio aquando da visita de Cavaco á Madeira A ter havido vistoria de segurança teria sido nessa data e não agora depois de surgida a noticia.
Sabe-se com toda a certeza que esta notícia surgiu agora (há um mês) para desviar a atenção do facto de assessores do PR estarem a violar o dever de imparcialidade e estarem a colaborar com a elaboração do programa eleitoral do PSD.
Já a encomenda, há um ano e meio atrás, tinha surgido para desviar a atenção do facto de Cavaco Silva nada dizer sobre o irregular funcionamento da democracia na Madeira, tendo-lhe sido recusada a presença numa sessão na ALM e tendo um deputado eleito sido impedido de entrar nas instalações do parlamento regional.

Cavaco Silva mostra que não se coíbe de colocar em causa o regular funcionamento das instituições desde que daí retire um beneficio pessoal.
A sua ambição pessoal envolve o controle total sobre o governo. Objectivo esse que só pode ser alcançado colocando de novo os cavaquistas do PSD no governo.

Estou certo que não é este o desequilibro de poderes que os portugueses precisam.

sexta-feira, setembro 18, 2009

Mais um ataque do Sócrates à Educação

Quase todos so alunos madeirenses já têm acesso ao Magalhães.

As prioridades do PSD

Governo aperta nos apoios ao ensino particular
As ajudas para construção de novas creches e escolas particulares estão suspensas e os apoios ao funcionamento do ensino privado foram revistos.



Se falta dinheiro, o PSD não corta nos milhões ao Jornal da Madeira e ao futebol profissional, corta na educação. Claro está que quanto a isto os agentes de educação/educadores/professores/sindicalistas e afins nada têm a dizer.

quinta-feira, setembro 17, 2009

Já chegamos à Madeira, ou quê?

Se é tonto querer justificar o adiamento do TGV com um súbito arremate de nacionalismo exarcerbado, não é menos tonto insinuar que Ferreira Leite é uma "traidora espanhola" por ter trabalhado para o Santader.

Uma mão lava a outra

1 - António Preto e Helena Lopes da Costa compram votos que permitam influenciar a escolha do líder do PSD.
2 - Com o apoio de António Preto e Helena Lopes da Costa, Manuela Ferreira Leite chega à presidência do PSD por uma unha negra, ganhando a Pedro Passos Coelho e Pedro Santana Lopes, tendo obtido pouco mais de 30% dos votos.
3 - Depois de eleita presidente, MFL faz questão de integrar António Preto e Helena Lopes da Costa nas listas de deputados, retribuindo o "trabalhinho" de angariação/compra de votos.
4 - MFL chega a candidata a primeira ministra pelos meios menos democráticos possíveis, mas apregoando uma suposta superioridade moral.

Acha mesmo que esta mulher merece o seu respeito?

Democratas III



Ahmadinejad foi eleito e reeleito pelos Iranianos.

É, para o PSD, um democrata e o Irão uma democracia exemplar.

Democratas II



Robert Mugabe tem sido, desde 1980, sucessivamente eleito pelo seu povo.

É, portanto, no mui restricto critério do PSD, um democrata e o Zimbábue uma democracia.

As maravilhas da internet

Hoje em dia, o acesso à informação atingiu um nível de facilidade que seria impensável à apenas uns anos atrás.
Vou contar-vos uma história que "já" não é segredo mas que com certeza não chega aos ouvidos da grande maioria dos portugueses.

Recentemente a Dra. Manuela Ferreira Leite veio insurgir-se contra a intervenção de um país estrangeiro numa campanha eleitoral em Portugal.
Mas será que é esta a tradição do PSD?
Nos anos quentes de 75 o Dr. Vasco Graça Moura solicitou a uma potência estrangeira, nomeadamente os EUA, apoio financeiro e informações dos serviços secretos sobre os partidos concorrentes para a campanha eleitoral.
Isto quer dizer que o PSD não só não se importa com a interferência de potências estrangeiras nas campanhas portuguesas com ainda por cima a "mendiga".
Fica por saber de que modo pagaria o País pelo apoio dado por uma potência estrangeira ao PSD se este tivesse chegado ao poder.

Por isso, da próxima vez que ouvirem a Dra. Ferreira Leite insurgir-se contra a interferência de outro país na nossa política, tenham a certeza que é tudo conversa da treta e mentira.

P.S. - Para ler toda a história que acabo de contar pode consultar o documento desclassificado pelo governo americano, aqui.

Democratas I




Hugo Chávez foi eleito pelo povo Venezuelano. É, portanto, no mui restrito critério do PSD um democrata e a Venezuela uma democracia.

quarta-feira, setembro 16, 2009

O fantástico Francisco Lobato


Já começou mais uma regata que ligará La Rochelle - Funchal - Bahia.
Os participante nesta regata dividem-se em dois grupos, os que navegam em embarcações de série e os que navegam em barcos melhorados ou protótipos.
O navegador português Francisco Lobato participa com um barco de série, e neste momento está a conseguir o feito extraordinário de seguir na frente de todos os barcos.
Esperemos que consiga manter-se em primeiro até ao Funchal.

Podem acompanhar a regata aqui ou no site oficial do nosso navegador.

terça-feira, setembro 15, 2009

Meio esquizofrénico

Uns gajos que andam à anos a afirmar que a Madeira deveria desligar-se de Portugal, andam agora preocupados com o facto de Olivença ser portuguesa.
Tá bonito, sim senhor.

domingo, setembro 13, 2009

Algum dia, isto aconteceria na Madeira?

Existe um programa na Televisão pública portuguesa, o "diga lá excelência", feito em parceria entre o Público e a Rádio Renascença.
É conhecida a animosidade deste jornal pelo PM desde que o dono deste jornal não teve sucesso numa OPA lançada sobre a PT, tendo acusado o governo de não ter interferido em seu favor através das empresas públicas que eram accionistas da PT, nomeadamente a CGD.
Em pleno período eleitoral, o dito dono do jornal Público, o Eng. Belmiro de Azevedo foi o convidado do dito programa televisivo.
E o que foi lá dizer? Foi lá dizer cobras e lagartos sobre o governo e sobre o primeiro ministro.
Tudo normal, e tudo dentro da legitimidade que cada um tem para expressar as suas opiniões, sejam elas quais forem, mesmo sendo frontalmente contra o poder.
Tudo isto, como referi numa estação de televisão pública.
Perante tudo isto, haverá ainda alguém que possa julgar o ambiente que se vive em Portugal de asfixiante?

Agora digam-me, que tempo de antena na televisão pública na Madeira teria um empresário, nem digo hostil, mas não alinhado com as posições do governo?
Até quando participam num almoço com o primeiro ministro são ameaçados, imaginem o que seria se se mostrassem discordantes.

Asfixia democrática

Quanto maior for o fosso que separa os maiores partidos, maior será o medo das elites* de serem prejudicadas caso se manifestem contra o partido que está no governo, ou seja, quanto menor a probabilidade de o governo em funções ser substituído maior será o medo de o confrontar e maior será a tolerância a tentativas de condicionamento por parte desse governo.

Neste momento, verifica-se um empate técnico mostrado pelas sondagens mais recentes, entre os dois maiores partidos a nível nacional.
Na Madeira, o partido do poder detém uma diferença para o segundo partido superior a 30%.
Onde acham que as elites vão estar mais "tolerantes" relativamente aos abusos de poder?

Mas ainda há quem ache que um poder hegemónico é apenas o reflexo do voto do povo, e dai não advém nenhum mal para a democracia.

* Empresários, Jornalistas, quadros superiores da administração pública, etc.

O que mudou desde 2003

Em 2003 o governo PSD/CDS assinou com Espanha um compromisso para a construção de 4 ligações de TGV entre Portugal e Espanha.
Não vivíamos na altura, como não vivemos agora numa época de desafogo orçamental.
Então o que terá levado a esta mudança de posição do PSD relativamente a este tema?
A resposta a esta questão é incrivelmente simples.
Por um lado, o PSD passou de partido do governo para a oposição, ficando arredado da condução do processo de concessão.
Por outro lado, temos que também em Espanha o partido que então estava no poder, passou para a oposição.

Ficamos assim a saber que MFL apenas concorda com o TGV quando está no poder, e apenas admite que os espanhóis se metam na politica portuguesa, quando quem está no poder em Espanha são os seus amigos do PP, sendo frontalmente contra que o TGV quando está na oposição e quando o PSOE é governo em Espanha.

P.S. - porque razão os jornalistas não perguntam a MFL em que condições é a favor do TGV?

sexta-feira, setembro 11, 2009

A asfixia democrática do Jumento

Comporto-me como blogger como o faço no dia-a-dia, digo o que penso sem pensar em consequências, há muito que aceitei que neste país ou se usufrui da liberdade ou se é ambicioso, combinar as duas coisas é difícil. Muitos portugueses dão-se mal com a liberdade e quem “fala demais” é marcado como se uma vaca se tratasse.

Ao longo destes anos já recebi centenas de mails ofensivos, já li milhares de comentários que apenas visaram ofender-me a mim ou a terceiros, já fui alvo de uma tentativa de silenciamento, o Ministério Público já tentou identificar o autor deste blogue, a IGF já leu milhares de mails do fisco em busca de fantasmas. E não chamei “filho da puta” a nenhum primeiro-ministro. Até agora recebi um único mail ameaçador, de uma figura próxima do círculo de Manuela Ferreira Leite, mas esse assunto resolverei um dia destes com dois tabefes nessa figura.

Já critiquei violentamente muitos ministros, já coloquei dezenas de adjectivos ao ministro das Finanças, já fiz montagens em Photoshop de fotografias de José Sócrates que até estão a ser usados em Powerpoints postos a circular por gente do PSD. Todavia, nunca recebi qualquer sugestão para ser mais macio, nunca fui pressionado profissionalmente, isso apesar de muitos directores-gerais saberem que sou o autor do blogue, nunca isso sucedeu e O Jumento já conheceu três governos.

Depois de ter sido notícia porque o Ministério Público tentou identificar o autor do blogue pedindo ajuda à Interpol houve quem me questionasse como poderia votar no PS nestas eleições. Sucede que o Ministério Público não actua a mando do governo e o processo foi aberto com uma queixa de dois altos responsáveis da DGCI, ambos nomeados para os cargos por Manuela Ferreira Leite, o director-geral dos Impostos, agora administrador do BCP, e o director de finanças de Lisboa, um ex-chefe de gabinete de Dias Loureiro.

Protestei contra o acesso da IGF a milhares de mails de funcionários do fisco, uma busca que nunca foi bem explicada e que terá sido autorizada pelo ministro. Só que essa autorização referia-se ao plano de actividades da IGF que não referia a metodologia escabrosa e abusiva que ia utilizar. Sucede que o inspector-geral de Finanças foi nomeado pelo PSD e um ex-chefe de gabinete de Durão Barroso.

Não conheço ninguém do PSD que tenha sido incomodado, muitos dos boys do PSD foram reconduzidos em altos cargos (director de finanças de Lisboa, Inspector-geral de finanças, etc.) ou mesmo promovidos, conheço muitos militantes (alguns com um passado de participação em saneamentos políticos) do PSD que foram promovidos a altos cargos por este governo.

Quando fala em asfixia democrática a líder do PSD não se pode limitar a evasivas, deve dar exemplos concretos para além do caso de Manuela Moura Guedes, que há muito tempo que deveria ter levado um pontapé no traseiro.

Eu até poderia ignorar os intervenientes e juntar a minha à sua voz, mas mesmo que tivesse razões de queixa nunca me juntaria com o professor Charrua, exercer a liberdade de expressão é uma coisa, ser bandalho é outra. Quando senti a minha liberdade em causa tomei posição, denunciei, critiquei, exerci o meu direito à liberdade. Não me recordo de algum político se ter manifestado contra a tentativa de perseguir um blogger sem ter qualquer crime para justificar o pedido de intervenção da Interpol. Não me recordo de nenhuma voz do PSD se ter indignado por a IGF ter tido acesso a todos os mails de milhares de funcionários do fisco. Porquê? Porque o trabalho sujo destes exemplos de asfixia democrática foi protagonizado por boys do PSD!

É por isso que perante esta lenga, lenga de Manuela Ferreira Leite fico na dúvida se devo responder-lhe à Almirante Pinheiro de Azevedo ou à professor Charrua. Não o faço porque os meus valores são outros.

via Jumento

Reciprocidade

É verdade. Os textos do Sancho tiram-me do sério.
A cegueira que o afecta e não lhe deixa ver o que se passa na Madeira, é para mim incompreensível.
O Sancho apenas vê qualidades no regime político madeirense, e defeitos e ameaças no governo de Sócrates, sem cuidar que aquilo que critica lá é o mesmo que elogia cá.
Com tanta incoerência como é que o homem se podia levar a sério?
Fala de ingerência do primeiro ministro na televisão mas esquece-se que o director da RTP/RDP-M é militante do PSD e que o líder parlamentar do PSD-M é dono de muitas rádios locais.
Fala em concessão de autoestradas à Mota-Engil de Jorge Coelho mas esquece-se das concessões das vias litoral e expresso, entregues a Jaime Ramos e amigos.
Fala de inaugurações de hospitais onde as camas são retiradas, mas não fala de centros de dia que são inaugurados para fechar no dia seguinte (porque não estão concluídos).
Fala de suspeitas de corrupção no licenciamento do Freeport, mas fecha os olhos à construção dum empreendimento turístico na zona protegida da Quinta do Lorde.
Fala em caciquismo a nível nacional, e faz de conta que não percebe o que se passa na Madeira.

O Sancho, tal como a generalidade dos simpatizantes do PSD, apregoam uma superioridade moral que na realidade não têm. Fazem da política uma sucessão de suspeitas, e exploração de medos, tentando assim esconder a fraqueza das suas bases programáticas.

Vá postando as suas asneiradas que eu por cá farei o mesmo.

quinta-feira, setembro 10, 2009

Verdade verdadinha?

"Devia ser proibido prometer baixar impostos"
MFL - 10/05/2008

"Tudo farei para uma redução de impostos"
MFL - 10/09/2009

A sensibilidade de Jerónimo e o profundo conhecimento de finanças de Manuela.

Começando pelo fim.
Fiquei surpreendido com a leviandade com que Jerónimo de Sousa falou da "asfixia democrática" na Madeira.
Não é numa viagem de carro com os camaradas, entre o aeroporto e a rua da Carreira, que Jerónimo de Sousa iria aperceber-se da areia na engrenagem da democracia madeirense, mas tinha a obrigação de conhecer, através dos seus camaradas, todos os atropelos democráticos perpetuados pelo PSD-M de Alberto João de que os seus camaradas são também vitimas.
A falta de comparência de AJJ à apresentação de uma moção de censura por parte do PCP-M é disso um bom exemplo.

Já quanto ao facto de uma candidata a 1ª ministra, e ex-ministra das finanças, não fazer a mais pálida ideia de quanto é a taxa máxima de IRC, ou não ser capaz de distinguir entre o IRC e o IRS, é de uma gravidade reveladora.
É esta mesma senhora que diz que é preciso rigor, mas tropeça no mais básico dos conhecimentos.
Percebe-se assim, porque foi MFL aconselhada/obrigada a manter o silêncio durante tanto tempo. A sua atracção para a asneirada e revelação de ignorância são gigantescas. Só calada é que passa por doutora.

quarta-feira, setembro 09, 2009

A nossa ditadura é muito melhor que a dos outros

Como é habitual, o Sancho fala do que não sabe.
Para o Sancho, nada se perde em verdade democrática se as mesas de voto forem compostas exclusivamente por elementos de um único partido.... desde que esse partido seja o PSD.
Na dita reunião da Calheta, o representante do PS chegou 3 min atrasado. Eu próprio tive de esperar mais do que isso na reunião em que estive presente.
As irregularidades não foram apenas na Calheta. Aconteceram também no caniço e ontem voltaram a acontecer na Ponta do Sol.
Nem as irregularidades são de agora. Lembro-me da primeira vez que fui indicar os nomes para uma mesa de voto. O presidente da junta, há hora de inicio da reunião, queria recusar a minha presença e do delegado do CDS. Tivemos que chamar a policia e apresentar queixa. Já na altura, o delegado do CDS disse-me que no ano anterior tinha sido a mesmissima coisa. E isto numa freguesia do Funchal. Imaginem o que não acontece em meios mais pequenos em que o medo de represálias é superior.
Se o processo eleitoral, depois de tantos anos de democracia, continua com todos estes vícios, é a própria democracia que está em causa, e é grave que haja supostos democratas que achem isto normal.
Isto para não falar nos processos de recenseamento que continuam a ser tudo menos transparentes, onde continuam a existir comissões recenseadoras sem a presença de elementos de outros partidos que não o do poder.

terça-feira, setembro 08, 2009

A armadilha madeirense

O "inimigo externo" é uma peça central da estratégia de Alberto João para distrair os madeirenses do que de mau se passa na Madeira, e no sentido de evitar divisões internas no seio do seu partido.
É com este pano de fundo que fica claro como água que AJJ tudo fez, nesta visita de MFL à Madeira, para tornar impossível a sua vitória nas eleições de 27 de Setembro.
MFL não teve a inteligência de perceber a armadilha em que estava a cair.
O PSD terá perdido muito mais votos no continente com a vinda de MFL à Madeira do que aqueles que eventualmente possa ter ganho cá.
Alberto João tratou de assegurar que em São Bento ficará um primeiro ministro que possa ser visto como inimigo e como o causador de todos os males de que a Madeira sofre. Com a vitória de MFL, essa estratégia seria incomparavelmente mais difícil e obrigaria à ingestão de muitos sapos.
Neste momento os amigos Almeida Santos e Jaime Gama, estarão muitissimo agradecidos ao cicerone da Madeira.

O que parece e o que é.

Assente alguma poeira, importa reflectir sobre alguns absurdos e mentiras argumentativas que caracterizaram a tentativa de associar o PS e José Sócrates ao processo de afastamento de Manuela Moura Guedes do Jornal Nacional da TVI. O argumento base assentou sempre em dois vectores, dados por adquiridos mas nunca demonstrados: o PS terá pressionado a Prisa pela sua ligação directa ao PSOE; não teria racionalidade acabar com o produto informativo de maior audiência da TVI, sendo mesmo uma má decisão empresarial. O que se demonstra de seguida é que não só está a PRISA em guerra aberta com o PSOE, particularmente com Zapatero, como as audiências do JN6ª estavam em queda livre, levantando sérias dúvidas sobre a rentabilidade de um produto com custos autónomos, num contexto em que a Prisa tem invulgares dificuldades financeiras.

1. Peguemos no primeiro ponto. A desonestidade intelectual advém dele ter sido difundido por pessoas que têm obrigação de saber que o PSOE e a Prisa estão desavindos há bastante tempo. Valha a essa respeito a honestidade de Carlos Barbosa Oliveira, uma das raras vozes a dar eco disto que vi na blogosfera. Tal como Ana Matos Pires.

A esse respeito, vale a pena recordar o que são os factos. E nada melhor que pegar num jornal insuspeito de simpatias pelo PS, o Público. Diz-se aí que:

"Depois de anos de bom entendimento com os socialistas de Felipe González, a chegada à liderança do PSOE por José Luís Zapatero marcou um progressivo distanciamento. O facto de Zapatero ter apoiado a criação de um novo grupo de comunicação, a Mediapro, que controla o canal televisivo La Sexta e o diário espanhol Público, agravaram a situação.

O mais recente episódio aconteceu no Conselho de Ministros extraordinário de 13 de Agosto, quando o executivo avançou com o decreto da televisão digital terrestre (TDT) por subscrição. Uma hora depois, a Mediapro anunciou o início das emissões de Gol TV, o seu canal por subscrição de TDT."

Se pensarmos que Zapatero está no poder em Espanha desde Março de 2004, parece pouco desculpável que tanto jornalista e comentador insista, passados 5 anos, em vislumbrar simpatias socialistas entre a Moncloa e a Prisa. Ademais, o tal Conselho de Ministros extraordinário foi a 13 de Agosto de 2009, há menos de um mês, e motivou esta reacção de Juan Luís Cebrían, o Presidente Executivo da Prisa num dos jornais do grupo, o El Pais:

"A suspeita de que a verdadeira urgência para aprovação do decreto-lei é favorecer os interesses de uma empresa cujos proprietários estão ligados por laços de amizade ao poder foi sugerida inclusivamente por quem aplaudiu a medida". E em entrevista à Cadena SER, do mesmo grupo foi mais longe: "Preocupa-me a qualidade democrática do nosso Governo, estar no poder não o autoriza para governar de forma caprichosa e arbitrária".

Segundo relata o El País de 21 de Agosto, nessa entrevista, Cébrian acusou o Governo do PSOE de ter tomado a decisão sobre a TDT de forma a condicionar os media independentes e isentos, como se presume ele achasse que fossem os seus, claramente prejudicados na decisão do PSOE.

Em suma, não parece colher a tese dos que se apressaram a apontar o dedo às cumplicidades do ex-franquista Cébrian numa cabala do socialismo ibérico. No estado actual de coisas das relações entre a Prisa e Zapatero, alguém pode legitimamente continuar a afirmar que Cébrian tinha interesses em agradar a Zapatero afastando Manuela Moura Guedes? A guerra entre os dois é aberta, em Espanha. Os Políticos da Verdade deviam saber disso.

2. Com relação ao segundo ponto, o alegado "produto mais rentável da grelha informativa da TVI" estava longe de corresponder a esse suposto mérito. A rentabilidade é uma relação entre custos e proveitos. E o que se sabe dos custos, como foi revelado pela imprensa do fim de semana, é que o jornal de Moura Guedes tinha uma equipa própria, de 11 pessoas, que trabalhavam ao seviço das suas directivas, o que só é um exemplo de mau jornalismo. Mas falando de rentabilidade, a inexistência de sinergias entre a redacção da TVI e o Jornal de Nacional de Sexta resultava em que este fosse um produto autónomo que tinha que se justificar em termos de proveitos próprios, pois tinha custos próprios.

As receitas de um qualquer programa televisivo têm a ver com a procura de publicidade que ele gera nos períodos contíguos e nos seus intervalos. O Jornal Nacional de 6ª, que a Direita berra que era um produto rentável, geraria receitas ou não consoante as suas audiências. E se quisessem ter uma discussão honesta, os nossos amigos do PSD e do PP teriam ido analisar isso antes de falar. Os dados da Marktest são públicos. E o que mostram?

1) Que na grelha dos 20 programas mais vistos por mês, em 2009 o Jornal Nacional de Sexta aparece quase sempre atrás do Jornal Nacional dos outros dias. O JN6ª mais visto teve em regra menos audiências que o Jornal Nacional mais visto.

2) Desde Maio, incusivé, as audiências do Jornal Nacional de 6ª mais visto em cada mês estavam em queda.

Para um produto autónomo, com meios próprios, e reduzida capacidade de gerar sinergias com a estação, o que não era racional era manter o jornal no ar. Os liberais de mercado que pululam à direita deviam perceber isto. Ademais, num contexto conhecido de dificuldades financeiras da Prisa.

Como se pode ler no Público:

"Certo é que o grupo Prisa necessita de uma injecção de capital de pelo menos 300 milhões de euros até Outubro, para responder à pressão financeira dos bancos que concederam à empresa um adiamento nos empréstimos actuais, segundo a imprensa espanhola citada pela Lusa. O portal espanhol El Confidencial, que cita fontes da empresa, refere que a Prisa está a investir em várias alternativas para vender parte dos seus activos, numa altura em que a dívida total da empresa ultrapassa os cinco mil milhões de euros."

"Recorde-se que os bancos credores da Prisa, com destaque para o Santander, concederam em Maio um empréstimo de 1950 milhões de euros, que se vence em Março de 2010, com "duras condições" que a empresa terá que cumprir. Para isso, a Prisa está envolvida em várias negociações paralelas, sendo que uma das mais importantes se relaciona com a venda de 40 por cento da Digital Plus, a sua plataforma de televisão paga. Em curso está também a operação para venda de parte da Media Capital. Ao que o PÚBLICO apurou, o Natexis, banco de investimento francês, delegou no Financia, banco de investimento português, a tarefa de procurar um comprador da Media Capital."

Para vender um produto como a Media Capital, qualquer analisa financeiro reconhecerá que importava melhorar as contas da empresa. E o desaparecimento de um produto de rentabilidade questionável e em queda era a melhor forma de o fazer. A isto, julgava eu, que chamavam eles Economia de Mercado.


De Carlos Santos via Câmara de Comuns

Ainda o PSD, a Segurança Social e a TSU

Para 2009 a previsão do saldo da segurança social, ou seja, o balanço entre as contribuições e os gastos, situa-se aproximadamente nos 1180M€.
Com a proposta do PSD de diminuir a Taxa Social Única em 2%, como já foi dito, implicaria uma diminuição das contribuições para a Segurança Social em cerca de 1000M€ anuais.
Ou por outras palavras, o PSD pretende desbaratar praticamente todo o saldo positivo da Segurança Social, voltando a colocá-la numa situação aflitiva.
Não tenho dúvidas em afirmá-lo: uma eventual vitória do PSD de MFL seria um desastre para a segurança social e para as reformas dos portugueses.

Endividamento Zero

Manuela Ferreira Leite, na sua extraordinária visita à Madeira, questionada sobre o facto de ter imposto o "endividamento zero" às regiões autónomas disse uma coisa fantástica:"Não é esse ponto que está agora em questão" Seguindo-se dum esclarecedor "Precisamos ver o estado das contas públicas".
Traduzindo, isto quer dizer que o PSD de MFL pretende manter a o "endividamento zero" às regiões autónomas.
Perceberam?

domingo, setembro 06, 2009

Ainda estou a abarrotar de tanta verdade

Manuela Ferreira Leite veio hoje, no debate com FL, confirmar que este governo (PS) encontrou a Segurança Social em estado critico e que o tinha retirado desse estado, e que não pretendia alterar o que tinha sido feito.
A parte da auto-critica fica-lhe bem, porque o estado em que o seu governo deixou a SS era realmente assustador. O reconhecimento pelo bom trabalho dos outros também merece nota de destaque.
Já a conversa de que não pretendiam alterar o que tinha sido feito é que me deixou com a pulga atrás da orelha, pois isso significaria que o que o PSD apresentou no seu programa, não é para ser cumprido.
O PSD "promete" reduzir a TSU em 2% retirando à SS mais de 1000M€ anuais, e isso não é dar continuidade ao que está a ser feito.
O PSD propõe retirar ao sistema de segurança social, as contribuições mais altas, impedindo a solidariedade entre contribuintes e descapitalizando fortemente o sistema, e isso não é dar continuidade ao que está a ser feito.
Se MFL promete duas coisas contraditórias isso só pode significar que verdades há muitas, e as verdades do PSD podem colocar as reformas de muitos portugueses em maus lençóis.
Só lamento que o PSD não tenha a honestidade de defender aquilo que apresenta no seu programa, chegando ao absurdo de o negar.

sábado, setembro 05, 2009

Caso MMG: Inquérito Parlamentar

Pelo impacto que o caso MMG terá no decorrer da corrente campanha eleitoral, e consequentemente, no destino politico do País, justifica-se plenamente um inquérito parlamentar que esclareça cabalmente se houve pressões ou não, quem as fez, que poderes se movimentaram, etc.
Este assunto é demasiado sério em termos de impacto na nossa democracia, para ficar apenas pelo diz que disse.
Acredito que o nosso parlamento será capaz de pegar neste caso e dele tirar as conclusões necessárias à melhoria da nossa democracia.

Auto-asfixia

Pode ser justo criticar o governo, pode ser justo dizer que o governo é mais arrogante ou menos arrogante, mais dialogante ou menos dialogante, mas não se pode dizer que o governo está a asfixiar a democracia portuguesa! Isto só pode ser dito por quem nunca viveu em ditadura, ou não sabe o que foi a ditadura, a Polícia Política, a censura, as perseguições e o livre-arbítrio. Mas a verdade é que hoje todos podem dizer o que quiserem. Com perfeita impunidade. Dizem que não há liberdade em Portugal? É fácil. Em ditadura nunca o fariam, nem os que têm idade para isso o fizeram.... Será que é preciso passar seis meses sem democracia, em Portugal, para melhorar a situação? Foi assim que Salazar começou e ficou no poder 48 anos! Cuidado! Quem for dessa opinião não é inocente.

de Mário Soares no i

E quem vai ganhando é Pinto Balsemão

Com o fim do negócio entre a PT e TVI, quem ganhou foi a Impresa.
Com a ida de Moniz para a Ongoing, a impresa voltou a ganhar.
Com o fim do JN6ª de Manuela Moura Guedes, mais uma vez, foi a Impresa que foi ganhando.

Todos falam de uma possível influência do PS e de José Sócrates no fim, a meu ver ilegal, do JN6ª e ninguém parece interessado em discutir aqueles que, com todas estas trocas e baldrocas, diz-se já terem ganho mais de 60M€.

Puro engano subestimar o poder económico e sobrevalorizar o poder político.

sexta-feira, setembro 04, 2009

O óbvio

Emídio Rangel elogia decisão de acabar com espaço que «envergonha jornalistas»


Pais do Amaral: "Comigo, o jornal de sexta nunca teria existido"

A pulhice travestida de jornalismo que era servido às sextas-feiras pela TVI apenas se manteve tanto tempo no ar por força do director do canal, J. Eduardo Moniz.
Nada daquilo era informação. Nada daquilo era jornalismo. Apenas ódio.

quinta-feira, setembro 03, 2009

Força Manuela, estamos contigo

Espero que Manuela Moura Guedes não se fique pelo bluff e divulgue no youtube a tal reportagem cheia de factos novos sobre o caso freeport.
Caso contrário todos seremos levados a pensar que a sua saída da TVI não passa de uma encenação bem montada e com um alvo bem definido em mente.
Se há alguém que pode sair gravemente prejudicado com este fait-divers é José Socrates e o Partido Socialista, e só por muita ingenuidade é que se poderia pensar que estes estariam distraidos ao ponto de cometer um erro político desta dimensão a meras 3 semanas das eleições.
E se há os que perdem, há com certeza os que ganham.
Na origem do caso freeport esteve uma celebre reunião entre dirigentes políticos (PSD + CDS) com agentes da PJ e comunicação social, nada me admiraria que no desfecho estivessem os mesmos elementos.

terça-feira, setembro 01, 2009

O panfleto do TGV e a queixa do PSD

Todas as empresas têm uma estratégia de comunicação. As empresas pertencentes ao sector empresarial do estado não fogem a esta regra.
No entanto considero profundamente incorrecto que uma empresa do estado tenha feito publicar um panfleto informativo em plena campanha eleitoral, onde o tema em questão é abordado de maneira diferente pelos diversos partidos concorrentes.

Agora, considero de uma hipocrisia sem limites as palavras do membro da direcção do PSD, Luís Marques Guedes.
Gostaria de lembrar que quando o mesmo Luís Marques Guedes veio à Madeira para acertar a estratégia eleitoral para as próximas eleições, foi recebido num almoço oferecido por Alberto João Jardim na qualidade de presidente do governo regional, e na presidência do governo regional, e não na sede partidária como seria normal.
Mais hipócrita é ainda a posição do PSD quando se sabe que Manuela Ferreira Leite virá à Madeira e participará numa inauguração do governo regional.
Então usar uma inauguração do governo regional para campanha eleitoral do PSD não é rasgar o dever de imparcialidade?

Já nas últimas eleições regionais o governo regional do PSD fez publicar uma maquete duma suposta marina do Lugar de Baixo remodelada, em resposta a um cartaz do PS que falava do dinheiro que já tinha sido gasto naquela estrutura sem que ela estivesse a funcionar.

A Verdade do PSD fica à porta do seu partido. Para o PSD a ética e as regras democráticas só se devem aplicar aos outros.

P.S. - Pela experiência que o PS-M tem destas coisas de participações à CNE sabemos que a queixa do PSD, apesar de justa, não dará em nada.

Boas notícias

Segundo dados do Eurostat, hoje divulgados, o desemprego em Portugal manteve-se nos 9,2%, contrariando a tendência de subida da Europa.
Este indicador mostra claramente que estamos no bom caminho, estando mesmo melhores que muitos dos nossos parceiros comerciais.
Também as notícias que indicam que algumas empresas estão a cancelar os lay-offs, voltando à produção full time, mostram que podemos estar numa fase embrionária da recuperação económica.

P.S. - a propósito desta boa notícia para Portugal, vale a pena ver a notícia envergonhada do Público, que chega ao ponto de se "esquecer" do bom desempenho de Portugal comparativamente ao resto da Europa.