Pacheco Pereira, no seu blogue Abrupto, escreve um post sobre a ERC. Mais tarde, acrescenta uma adenda ao próprio post mandando-nos ler um texto de Helena Matos no Blasfémias. Uma pessoa vai ler o texto de Helena Matos, no Blasfémias, e descobre que o texto tem dois parágrafos. No primeiro, diz umas coisas. O segundo é uma citação do próprio post de Pacheco Pereira; o tal post ao qual Pacheco Pereira acrescentou a tal adenda para nos mandar ler o tal texto de Helena Matos. Aliás, fazendo uma contagem de palavra, descobrimos que metade do texto de Helena Matos que Pacheco Pereira tanto admira são palavras de Pacheco Pereira. Não espanta que Pacheco Pereira goste do texto. Estou mesmo convencido que Pacheco Pereira, quando leu Helena Matos, terá pensado: “Bolas, esta senhora é mesmo muito inteligente, metade do que ela diz neste post é brilhante!”

Adenda: Sobre o mesmo assunto, leiam este fantástico post.


Tirado daqui