terça-feira, março 31, 2009

Charles Smith mentiu para safar o pêlo, mas isso não interessa nada, pois não?

A gravação na qual Charles Smith diz que José Sócrates "é corrupto" é autêntica. Foi o próprio arguido do caso Freeport que assumiu a autenticidade das suas declarações, durante a investigação paralela que decorre em Inglaterra.

De acordo com a TVI, quando foi interrogado por um solicitador inglês (com poderes de investigação), Smith disse que não sabia que estava a ser gravado, mas confirmou que foi ele o autor das declarações, contidas num DVD já amplamente divulgado, nas quais o inglês diz que o então ministro do Ambiente, José Sócrates, actual primeiro-ministro português, "é corrupto". Na reunião gravada no DVD estariam Charles Smith, João Cabral (ex-funcionário da Smith & Pedro) e Alan Perkins, administrador do outlet Freeport. Alan Perkins terá gravado a conversa sem conhecimento de João Cabral e Charles Smith, sendo que na altura Smith já era arguido no processo.

De acordo com a TVI, quando foi encostado à parede pelos investigadores, Smith confirmou a autenticidade da gravação, mas disse que tinha inventado a história dos pagamentos ilícitos para justificar o desaparecimento do dinheiro. Mas na sexta-feira, depois da divulgação da gravação, pela TVI, Smith desmentiu em comunicado que alguma vez se tenha referido a Sócrates de forma injuriosa.

Ontem, os lideres do PCP e do CDS, Jerónimo de Sousa e Paulo Portas, pediram celeridade à Justiça na resolução deste processo . Contactada pelo DN, a procuradora titular do processo Freeport, Cândida Almeida não quis comentar os desenvolvimentos do caso.

in DN

Sem comentários: